Um Passarinho Precisa de Ajuda – o que fazer?


O que fazer quando um passarinho precisa de ajuda? Devemos salvar ou mostrar indiferença, deixando a natureza fazer a seleção natural entre as espécies? Que sobrevivam os mais fortes!

Um dos primeiros artigos que escrevi para o Tudo Sobre Bichinhos, ainda no primeiro dia, fala exatamente sobre este dilema: “Devemos salvar um passarinho que caiu do ninho?“. Conta a história de um bem-te-vi que foi encontrado no nosso quintal, cuidado e alimentado com papinha na fase inicial da vida, sobreviveu e cresceu lindo e alegre. Quando adulto, em seu habitat natural, optei por deixar seu viveiro aberto, para que ele saísse se assim desejasse. Foi o que ele fez, mas seus pares não o aceitaram. Bem-te-vis são muito territorialistas e aquele filhote, embora nascido ali, era um estranho, um invasor.

Este passarinho precisa de ajuda

Um passarinho precisa de ajuda

O assunto voltou porque minha filha encontrou um filhotinho, provavelmente um sanhaço, no jardim do prédio onde mora. Apesar de saber dos problemas que enfrentaria, levou-o para casa e passou a cuidar dele.

Expliquei que os filhotes de pássaros, como todos os filhotes, inclusive os humanos, passam por fases importantes em seu desenvolvimento. No caso dos pássaros, precisam da ajuda dos pais para aprender a voar e a se alimentar sem ajuda. Aprendem a ficar espertos, evitando os predadores, a escolher os alimentos certos e, muito importante, a mostrar para os outros pássaros que fazem parte da comunidade e devem ser aceitos como tal. Pular qualquer etapa pode ser fatal para a sobrevivência.

Minha filha argumentou que não deixaria o filhote morrer no jardim, com fome e sede, atacado pelas formigas, ou devorado por algum animal faminto. Se vai morrer, que o faça em casa, alimentado, com conforto, atenção e segurança. E assim fez. Lá está o sanhaço. Ganhou uma gaiolinha, muita comidinha, água a  vontade, atenção e carinho. Vai sobreviver!

“Apareceu abandonado em uma caixinha de sapato no jardim do meu prédio. As formigas já o rodeavam achando que tinham achado um banquete vivo. Acabei com a festa e trouxe pra casa.

Não sei se vai viver, mas terá vida boa, seja ela longa ou curta. Já tem uma gaiolinha, frutinhas frescas, sementes e água. Eu, cheia de olheiras, cuido com todo o amor do mundo de mais um bebê. Não anda direito e voar muito menos. E vamos levando…”

O mundo atual precisa de atitudes como esta. São pequenos gestos que denotam sentimentos de amor ao próximo e solidariedade. Em uma época em que a vida não vale absolutamente nada, precisamos resgatar antigos valores, que nos mantiveram vivos até agora e a humanidade em evolução. Ainda haverá tempo para salvar a espécie humana? Depende de cada um de nós.

 

Perder um Bichinho de Estimação é Como Perder um Filho


É possível perder um filho sem nunca ter gerado um? Afirmo com todas as letras – e lágrimas – que sim…

Amei a Penélope desde o primeiro dia em que nossos olhares se cruzaram na pet. Por sinal, ela já estava reservada a uma outra família. Tive que levar outra calopsita pra casa, que partiu em poucos dias, pois descobri já estar doente. A solução da loja pra amenizar a dor foi oferecer aquela que eu tanto me apaixonei. Destino… Hoje ela foi embora, sem grandes explicações.

Minha companheira nos melhores e, principalmente, nos momentos mais difíceis da minha vida. Choro por não aguentar mais ver fechar os olhos quem eu tanto amo. Choro porque, como sempre dizia, a Penélope é especial, única e só não saiu da barriga. De resto, filha de alma, de amor, de Deus. Estou devastada. Coração sangrando.

Perder um filho

Não me digam que era só um passarinho. A capacidade dela de me dar amor foi infinitamente maior do que a de muito humano. Quis e tentei ser a melhor mãe do mundo. Fui até onde meus esforços permitiram. Mas ela partiu nas minhas mãos, me ouvindo cantar sua canção predileta…

Dia 21 é uma data de perdas. Primeiro minha mãe, agora ela.

Obrigada, tchuca… Não esperava viver isso agora, mas Deus quis assim. E vamos nos encontrar um dia. Seja bem recebida e saiba que você foi uma das maiores provas de que amor existe. (2006-2017) ❤️🐤

“Eu tenho tanto pra lhe falar
Mas com palavras, não sei dizer
Como é grande o meu amor por você…”

Fernanda Teixeira

Você Costuma Conversar com seu Bichinho?


Pode parecer estranha a pergunta, mas quem convive com cães, gatos, calopsitas e outros bichinhos – não necessariamente papagaios – sabe que conversar com seu bichinho é perfeitamente normal e saudável para ambos.

Embora animais e humanos falem línguas diferentes, o entendimento é perfeitamente possível e a comunicação se torna até mais fácil. Com o tempo, ambos entenderão perfeitamente gestos, olhares e até o silêncio.

Meus cachorros, por exemplo, reagem aos latidos de outros cães durante a madrugada. Alguns são ignorados enquanto outros provocam reações imediatas. Pelo ritmo e intensidade eu, que não sei latir, já sei quando continuarão dormindo ou se levantarão agitados.

Você costuma conversar com seu bichinho?

Conversar com seu bichinho, seja cão, gato, ou qualquer outro animal, oferece uma série de vantagens. A maior delas é que você terá um ouvinte atento e interessado, como um psicólogo ou psicanalista à disposição, com a vantagem de não precisar pagar pela consulta.

Ao fim de uma hora de conversa, você se sentirá revigorado e seu bichinho também. Seus laços de amizade estarão mais fortes. Não é por acaso que cães são levados a asilos para conviver com pessoas idosas. A troca de amor faz bem a ambos.

Como conversar com seu bichinho

Você costuma conversar com seu bichinho?

Os animais ganham muito quando conversam com seu tutor. Quanto mais emoções de amor e carinho você transmitir durante a conversa, melhor será. Fale tranquilo, se possível com o bichinho em seu colo ou bem próximo a você. Acaricie-o enquanto fala. Esteja em um ambiente tranquilo, sem barulhos externos, sem televisão ligada. Se faltar assunto, conte a sua vida. Comece do início, conte como o encontrou, o que sentiu na ocasião, agradeça pela sua presença e pelo bem que ele lhe proporciona, fale das brincadeiras, do amor que você sente por ele, da comida que você prepara com amor e carinho, do dia-a-dia de vocês. Ele sentirá as vibrações de amor e amizade que ficarão cada vez mais presentes no ambiente. Cada dia vocês se tornarão mais amigos.

Experimente!

Conte a sua experiência.

Este artigo foi inspirado em matéria publicada no site Cachorro VerdeUm exercício para estreitar o vínculo com seu cão ou gato.

Alguns de meus bichinhos

Aqui estão alguns bichinhos com os quais convivo ou já convivi. Presto a eles a minha homenagem e agradeço pela excelente companhia que me têm feito ou já fizeram.

Mel
Mel foi recolhida das ruas bem pequena. Andava pelo asfalto e não sobreviveria por muito tempo. Trouxe-a para casa.

Mel foi recolhida das ruas bem pequena. Andava pelo asfalto e não sobreviveria por muito tempo. Trouxe-a para casa. Divide a coberta comigo, deitada junto aos meus pés.

Nick

Nick tanto insistiu que acabou sendo adotado. Vinha de longe, vivendo nas ruas, interessado em uma cadela.

Nick tanto insistiu que acabou sendo adotado. Vivia na rua, bem longe de casa, e aqui chegou interessado em uma cadela que estava no cio. Em uma noite chuvosa e fria apareceu quase morrendo e nunca mais saiu.

Leléu

Leléu

Leléu nasceu aqui. É filho da Xandoca, a gata persa que está desaparecida desde abril (possivelmente foi roubada). Leléu nasceu no quintal, no meio do mato, e só foi salvo porque miou alto. Eram quase 3 horas da madrugada.

Lili

Lili

Logo em seguida nasceu Lili. Era pequena, bem menor que Leléu. Precisei cortar o cordão umbilical, mas já estava preparado para isso. Lili foi uma caçadora implacável. Nada escapava a ela. Na madrugada de 21 de novembro de 2015 entrou em casa agonizando. Morreu em poucos minutos, possivelmente envenenada por chumbinho.

Xandoca

Xandoca

Falando nela, aqui está Xandoca. Espero que esteja bem.

Antes dessa turma pude conviver com dois irmãos, Billy e Bob, que já se foram. Resgatei-os recém-nascidos, abandonados na esquina. Ficaram enormes e muito fortes. Como eram ciumentos, ocupavam áreas separadas. Um dominava o quintal da frente e outro cuidava nos fundos da casa. Cada um tinha seu espaço e sua casinha de madeira.

Billy

Billy

Bob e Gucci, com Lucia

Lucia-Gucci-Bob

Vivendo na roça entre patos e galinhas

Em 1996 mudei-me com a família para Iguabinha. Entreguei o apartamento no Leblon, pois ficou impossível pagar aluguel. Passamos dois anos na casa que antes era apenas para veraneio. Céu para uns, inferno para outros, procurei adaptar-me ao novo ambiente, nada sofisticado. Confesso que gostei (fui o único da família), mesmo viajando diariamente 300 km para ir trabalhar no Rio.

Salvei uma dúzias de galinhas do abatedouro, em Iguaba Grande. Todas passaram a ter um nome. Perdi a conta dos sacos de 50 kg de milho picado que comprei. Em troca, me presenteavam com uma dúzia de ovos todos os dias, até morrerem de velhas. Os lindos patinhos amarelinhos ficaram enormes, com dois metros de envergadura de asas.

Tudo passa! O hoje também passará!

Fotos de tempos não tão distantes nos ensinam que devemos aproveitar todos os momentos, pois são únicos, não se repetem. Poderemos vivenciar situações parecidas, mas nunca iguais. A vida é muito curta para que desperdicemos nosso precioso tempo com coisas que não são importantes. Amar o próximo, não apenas humanos, mas de todas as espécies, de todos os reinos, fazer o bem sem pensar em retribuição ou agradecimento, conversar com seu bichinho, são excelentes maneiras de usar bem o tempo, o bem mais precioso que temos. Não seremos lembrados pelo que tivemos, mas pelo que fomos!

Pica-pau-do-campo Veio nos Visitar – Colaptes Campestris


Um grito estridente anunciou a chegada de um pássaro diferente daqueles a que já nos acostumamos. No lugar onde vivo há muitos canários da terra, pardais, rolinhas, pombas, andorinhas, sanhaços, bem-te-vis, saíras, beija-flores, lavadeiras, falsos bem-te-vis e tantos outros pássaros. Sem que ninguém esperasse, um grande e vistoso pássaro instalou-se no topo de um poste de luz. Será que veio para ficar? Que pássaro seria este?

Peguei a câmera e comecei a fotografar. Um canarinho da terra aproximou-se e deu as boas vindas ao visitante, que depois identifiquei como sendo o Pica-pau-do-campo, também conhecido pelo nome científico Colaptes campestris.  As duas aves ficaram bastante tempo no alto do poste e voaram. Foi o tempo suficiente para fazer boas fotos, publicadas no Instagram.

Acredito que este Pica-pau-do-campo seja uma fêmea, pois não consegui perceber as faixas avermelhadas nos lados da cabeça.

Pica-pau-do-campo segundo a Wikiaves:

pica-pau-do-campo

“Possuindo 32 centímetros, essa espécie é facilmente identificável por conta da sua coloração; tem os lados da cabeça e do pescoço amarelos, assim como o peito, o alto da cabeça e a nuca são negros, da mesma forma que o bico e os tarsos, manto e barriga barrados e o baixo dorso é visivelmente branco ao voo. O macho apresenta em ambos os lados da cabeça duas faixas avermelhadas.”

A inesperada visita nos leva a pensar na liberdade que os pássaros têm, na possibilidade de voar, no direito de ir e vir, cumprindo o seu papel no planeta. Aprisionar pássaros em gaiolas denota egoísmo, vaidade e maldade. É um crime abominável. Gosto de ouvir o canto dos canários, os gritos do bem-te-vi, que costumam acordar bem cedo, como eu, mas em total liberdade.

O pica-pau-do-campo é encontrado em campos e serrados por todo o Brasil, menos na região norte.

pica-pau-do-campo

pica-pau-do-campo

Gostei da ideia de fotografar pássaros que aparecem no quintal. Talvez sejam atraídos pelas frutas e insetos. Vou andar sempre com a câmera pronta, a arma que deveria ser usada pelos caçadores. Concorda?

Ainda segundo a Wikiaves, a subespécie deste pica-pau é Colaptes campestris campestris. Tem a garganta de cor negra. A outra subespécie é Colaptes campestris campestroides, e tem a garganta na cor branca.

Alimento Para Beija-Flor – Açúcar Refinado faz Mal?


Qual o melhor alimento para beija-flor? Nunca devemos dar água com açúcar para beija-flores. Eles adoram, mas faz mal. Muita gente não é contra utilizar o açúcar para adoçar a água, mas o açúcar fermenta, além de atrair abelhas e formigas. Se já está cientificamente provado que o açúcar refinado faz mal para seres humanos, imagine para os frágeis pássaros. A natureza deveria ser capaz de atender a todas as necessidades de alimentação, mas o homem reduz as possibilidades. Assim, não encontramos com frequência, principalmente nas grandes cidades, fontes com água potável, flores variadas de onde os beija-flores poderiam retirar o néctar para saciar a fome e a sede. Então, principalmente nos dias quentes, uma ajudinha de nossa parte não fará mal algum e tornará nosso quintal mais alegre.

Onde colocar o alimento para beija-flor

alimento para beija-flor

Os bebedouros devem ser especiais e precisam estar sempre limpos e colocados na sombra. A limpeza deve ser diária. Os beija-flores raramente se apoiam enquanto bebem. Suas asas vibram cerca de 80 vezes por segundo, permitindo que fiquem parados no ar. Podem voar para trás, para cima e para baixo. Quando em repouso, respiram 260 vezes por minuto. O consumo de calorias é alto, cerca de 35 por minuto. Seriam necessárias 1000 flores para fornecer néctar suficiente para o consumo de um dia. Assim, um néctar artificial rico em vitaminas e minerais fornece o alimento para beija-flor completo e balanceado. Utilizar sempre água filtrada, sem cloro, ao natural.

Outros pássaros, como saíras, adoram a novidade e costumam vir em bandos. Utilizam o bebedouro para descansar enquanto se alimentam.

alimento para beija-flor

Como Cuidar de um Animal Doente


Como cuidar de um animal doente? Como cuidar de uma pessoa doente? Como cuidar de uma plantinha doente? Como cuidar de um planeta doente? As respostas são as mesmas para todas as perguntas: dando atenção, carinho e amor.

Lembro que as crianças do meu tempo, de um modo geral, adoravam ficar doentes, com aquelas doenças que normalmente acometiam as crianças, sem maior gravidade, mas que as impediam de ir à escola. As crianças passavam a ser alvo de todos os paparicos de mães e tias, muito carinho, comidinha gostosa servida na cama, etc. A doença tornava-se um prazer, naquele clima familiar de carinho, atenção e amor. E a recuperação era rápida. Falo das crianças do meu tempo, pois não sei como agem as crianças atuais, na era da informática. Acho que não mudaram, mas não quero arriscar. Pelo que tenho lido nos jornais, a inocência das crianças anda em baixa.

Melhor falar dos animais. Como cuidar de um animal doente?

como cuidar de um animal doente

Já convivo com cães e gatos há alguns anos e isso me ensinou a cuidar de um animal doente. Nossos bichinhos vivem pouco, bem menos do que gostaríamos, e acabam adoecendo. Seja por velhice ou por alguma doença, tornam-se dependentes dos nossos cuidados. É quando estão mais vulneráveis, esperando que façamos algo para minorar seu sofrimento. Como não falam, seus olhos transmitem o pedido de auxílio. Somos tudo para eles, que não contam com mais ninguém.

O primeiro passo ao começar a cuidar de um animal doente é consultar o veterinário e seguir suas recomendações. O acompanhamento é necessário, com consultas e exames eventuais. As despesas aumentam pois, de um modo geral, animais não têm plano de saúde e os medicamentos custam caro. Quando adotamos um cachorro ou gato devemos ter consciência de que isso será inevitável. Há quem abandone os animais quando chegam neste estado, mas quem faz isso não é nosso leitor.

O animal deve se sentir confortável, aquecido, em local tranquilo e acolhedor, sem sentir frio ou calor, bem alimentado. Precisa da presença humana, de alguém que faça carinho, converse com ele, transmita amor, amor de verdade, mesmo que saibamos que o tratamento será paliativo, para dar melhores condições de vida por um curto período de tempo. O importante é não deixar o animal sentir dor. Quem cuida entende olhares e sons quase imperceptíveis, que falam mais do que mil palavras.

Ganso é Excelente Animal de Guarda


Quando imaginamos um animal de guarda logo pensamos em um cão feroz, talvez um Rottweiler ou Pastor Alemão. Pelo barulho que faz há quem prefira o minúsculo Pinscher para tomar conta da casa. Todos eles cumprem o seu papel com eficiência, mas nada se compara ao ganso como verdadeiro animal de guarda.

Vou citar dois sites que tratam do assunto. O texto é o  mesmo. Um deles está em inglês, o Knowledgenuts e outro em português: o Megacurioso. Os sites falam das qualidades comprovadas dos gansos para a função de animal de guarda. Além da audição e visão superiores a qualquer outro animal, inclusive cães e seres humanos, os gansos têm um senso de território fora do comum. Não tente penetrar em local que esteja sob a sua guarda. Eles são incorruptíveis, não se vendem por um petisco e nem tem rabo para abanar.

A eficiência do ganso como animal de guarda

Ganso, animal de guarda - "Domestic Goose" por Noodle snacks - Obra do próprio. Licenciado sob CC BY-SA 3.0 via Wikimedia Commons.

Como andam em bandos, costumam grasnar alto quando ameaçados. Isso reúne todo o grupo, que parte imediatamente para o ataque. Dizem que na China há delegacias protegidas por gansos e o sucesso tem sido comprovado diariamente.

Apesar de tudo, mesmo sendo uma ave, costumam ter comportamento parecido ao de outros animais de estimação, tornando-se apegados aos donos e obedecendo seus comandos.

O comportamento das aves merece uma atenção especial.

Quem observa as reações de uma calopsita na presença de seu dono fica surpreso ao ver tanto comprometimento, tanto afeto e amor. Dizem que as calopsitas são os cachorros que voam.

Quem cria galinhas no quintal sabe o quanto elas gostam da presença do seu “dono”.

Circula pela web um vídeo em que uma galinha deita no ombro do menino que a acaricia. Um exemplo de amor.

Os homens deveriam prestar mais atenção a esses detalhes “insignificantes” em vez de pensar tanto em poder, status e aparência. A vida poderia ser bem diferente, muito mais humana e solidária.

Aprendamos com os animais, nossos verdadeiros mestres.

Pombos Causam Mais de 70 Doenças e Ocupam Praças e Praias


Pombos são pragas urbanas. Dividem espaço com os ratos em quantidade de riscos para a nossa saúde. Convivem bem com os seres humanos e, tanto um quanto outro, transmites muitas doenças. Ao contrário dos ratos, os pombos contam com a simpatia dos humanos. Se for branco, simboliza a paz. Estudos comprovam que os pombos causam mais de 70 doenças. Meningite, pneumonia, salmonela, dermatites e doenças respiratórias são as mais conhecidas.

Nas grandes cidades costumam frequentar praias e praças, onde são alimentados e dividem espaço com seres humanos. Há barraquinhas com milho picado para quem quiser alimentar as inocentes avezinhas. E isso não é exclusividade brasileira. No Rio de Janeiro os pombos escolheram a Cinelândia. Até na bucólica São Lourenço, em Minas Gerais, os pombos são atração turística no Parque das Águas. As crianças se divertem quando eles pousam em suas mãos para comer o milho que acabaram de comprar. Na Itália, em plena Europa, quem visita Veneza pode se espantar com a quantidade de pombos e a imundície que fazem na Praça de São Marcos.

pombos causam mais de 70 doenças

Os pombos se instalam onde encontram alimento. Parar de alimentá-los é o primeiro passo para afastá-los. Vivem em bandos e defecam nos telhados, nos quintais, nos monumentos, em qualquer lugar por onde passam. Suas fezes ácidas corroem monumentos públicos. Quando secas, as fezes são levadas pelo vento e, se aspiradas, provocam doenças respiratórias. Pombos costumam revirar o lixo, fezes de animais, toda espécie de sujeira, e depois vem comer na mão das crianças. Quem tem quintal com cães e gatos não deve manter a ração disponível o tempo todo. Os pombos adoram. Se fizerem ninhos na proximidade, dificilmente serão retirados.

Sempre é bom lembrar que maltratar animal é crime. Então, nada de matar. Afastar sim, mas dentro da lei.

Tenha uma Renda Extra criando Galinhas Caipiras


Se você tem um quintalzinho, seja um agricultor familiar, ou não, que tal ter uma renda extra criando galinhas caipiras? Ao contrário do que muita gente pensa, não basta ter algumas galinhas e soltar no quintal, sem utilizar nenhuma técnica de manejo e sem ter instalações adequadas. A maioria dos criadores age assim.

Tenha uma renda extra criando galinhas caipiras

A convivência das aves com outras espécies de animais e com pessoas em um mesmo ambiente e a total falta de higiene ajudam a espalhar doenças resultando em uma elevada taxa de mortalidade. Os predadores selvagens e as variações de clima também causam perdas consideráveis. Assim, o produtor em vez de lucro tem prejuízo, devido ao baixo desempenho reprodutivo e à alta mortalidade das crias, principalmente na primeira semana.

A Embrapa desenvolveu um sistema alternativo de criação de galinhas caipiras.

Se você pretende ser um pequeno criador e ter uma renda extra criando galinhas caipiras, vale a pena assistir ao vídeo da Embrapa e seguir as recomendações.

Assista também e anime-se. Tenha uma renda extra criando galinhas caipiras. Comece agora!

Dicas Sobre Calopsitas, Como Criar, Alimentação, Cuidados


Calopsitas são consideradas por muitos os cachorros que voam, tal a sua interação com o dono, inclusive crianças. Algumas dicas sobre calopsitas facilitarão a vida de quem optou por conviver com esses bichinhos maravilhosos.

A calopsita gosta de brincar, adora brinquedos, atenção e companhia. Considera-se um membro da família, demonstra sentimentos como amor, alegria e tristeza. Não deve ser tratada como um pássaro engaiolado, insensível ao mundo que o cerca. Não é assim que as coisas acontecem. A gaiola, por sinal, deve permanecer aberta e será um cantinho onde a calopsita se alimenta, brinca e descansa. Nunca faça da gaiola uma prisão, seja com calopsitas ou com qualquer outra ave. Pássaro deve viver em liberdade.

Dicas sobre calopsitas: Alimentação

Dicas sobre calopsitas - Penélope cuidando das penas

Deixe o alimento disponível durante todo o dia. A mistura especial para calopsitas, assim como vitaminas, deve ser a base da alimentação. Não exagere nas sementes de girassol. Calopsitas gostam de frutas e verduras, mas não são todas que podem ser dadas como alimento. O abacate, por exemplo, é fatal para calopsitas. Verduras, só as de folhas escuras, como couve e brócolis. Além do abacate são PROIBIDOS: alface e folhas claras, cafeína, chocolate, gordura, sal, sementes de frutas, folhas de batata, feijão. Não esqueça de trocar a água diariamente.

Cuidados

A gaiola não deve ficar ao sol, nem em locais com correntes de ar. A calopsita deve permanecer solta, mas sob vigilância. São muito levadas e adoram roer fios, o que pode ocasionar sua morte. Lembre-se de que agem como crianças. Cuidado com as janelas, que devem ser protegidas por telas, mesmo que as asas sejam aparadas.

Como escolher uma calopsita:

Dicas sobre calopsitas - Penélope e Fifo

Ao comprar uma calopsita, prefira um casal. Calopsitas são aves que adoram companhia. Prefira as mais ativas e verifique se o local está totalmente higienizado. Ao adquirir uma ave, peça ao veterinário o teste negativo para Chlamydophila psittaci e fique tranquilo.

O que preciso comprar além do pássaro?

Prefira uma gaiola grande, com no mínimo 50 por 50 cm, que tenha poleiro e uma entrada independente, de preferência com uma plataforma externa e um balanço. Lembre-se dos potes para colocar alimentação, vitaminas e água. Não esqueça de trocar a água todos os dias e limpar a gaiola. Uma piscininha fará sucesso nos dias mais quentes.

Há sites que vendem todo o material necessário e entregam na sua casa. Alguns não cobram frete, dependendo da quantia gasta. Nesses sites você pode comprar alimentos, gaiolas e brinquedos.

Dicas sobre calopsitas