Acidentes com Escorpião Podem Ser Fatais


Da mesma classe das aranhas, o Escorpião é um animal peçonhento, possui veneno, assim como tantos outros sobre os quais temos falado. Sua picada causa forte dor e a vítima precisa procurar um polo de atendimento para receber o soro antiescorpiônico o mais rápido possível. Acidentes com escorpião podem ser evitados ou, pelo menos, minimizados.

Hoje cedo estava observando meu quintal, que não é cuidado já faz algum tempo, e isso me deixou preocupado. Já passou da hora de fazer uma faxina geral na área, removendo mato e entulho. Nunca encontrei escorpiões no meu terreno, mas sei que existem em quantidade na mata que fica distante meio quilômetro de casa. Já me aconselharam a criar galinhas, seus inimigos naturais, mas meu quintal é visitado por gambás, que adoram galinhas. Além disso, como meu gato Leléu se comportaria?

Como evitar acidentes com escorpião

acidentes com escorpião pode ser fatal

Os escorpiões detestam claridade e, assim como as lacraias, gostam de lugares escuros e úmidos. As semelhanças com lacraias continua: gostam de terrenos com mato e lixo, pilhas de entulhos, restos de tijolos e telhas. Quando entram em casa também se escondem em lugares escuros e úmidos. Muros, buracos, frestas, dentro de armários, sapatos e tênis, forros, cantos, etc. Lacraias, aranhas e escorpiões tem gostos parecidos, além do poderoso veneno.

A melhor maneira de evitar acidentes com escorpião é cuidar da limpeza. Mantenha o interior da casa sempre limpo, sem buracos e frestas nas paredes e forros. O quintal deve ser bem cuidado e limpo, sem mato e entulho. Examine roupas, toalhas e sapatos antes de usar. As camas devem ficar afastadas das paredes e as cobertas não devem tocar o chão. Não transforme em depósito o espaço sob a cama. Ao utilizar tijolos guardados no quintal redobre sua atenção. Tijolos podem esconder muitos animais peçonhentos, como aranhas, lacraias e escorpiões. Use luvas e botas nesses locais. Manuseie os objetos com cuidado para minimizar os riscos de acidentes com escorpião. Se encontrar sapos no quintal, deixe-os lá. São inimigos naturais dos escorpiões. Crie galinhas caipiras. Além de acabar com escorpiões e outros animais nocivos, não sobra mato no quintal.

Algumas informações básicas:

“As espécies que habitam o estado do Rio de Janeiro têm coloração e hábitos que as confundem com o ambiente em que vivem. Entre essas espécies encontramos com muita frequência o “escorpião-amarelo” (Tityus serrulatus), que é considerado o escorpião mais perigoso da América do Sul.” (Instituto Vital Brazil)

Caracterização dos acidentes com escorpião:

A dor local está presente na maioria dos casos. Ocorre imediatamente após o acidente, podendo ser de intensidade variável, sob a forma de ardor, queimação ou agulhada e ainda irradiar-se para todo o membro. Pode haver edema, eritema, sudorese e piloereção. Após alguns minutos e nas primeiras horas, podem surgir as manifestações decorrentes do envenenamento sistêmico: salivação excessiva, sudorese, náuseas, vômitos, agitação, tremores, taquicardia, hipertensão ou hipotensão arterial, taquipnéia, choque, colapso cárdio-circulatório e edema agudo de pulmão. (Vacinas.org.br)

Depoimento de quem já foi picado por escorpião

Meu primo, João Aguiar, já foi picado por escorpião. Seu depoimento, publicado em sua página no Facebook, está aqui reproduzido. Apesar de ter procurado um hospital, não era um polo de atendimento específico e não recebeu o soro antiescorpiônico. Mas conseguiu sobreviver.

“No dia anterior, chegara cansado na fazenda dos meus sogros. Tive uma noite de sono reparador e despertei disposto, como nunca. Coloquei os pés no chão e movimentei-os em busca do meu chinelo.

Senti uma picada seguida de dor aguda e alucinante que me fez gritar com toda a força dos meus pulmões. Minha esposa acordou assustada, sentou-se na cama ao meu lado e procurou entender rapidamente o que se passava. Pedi a ela que procurasse o bicho que me havia mordido, enquanto, suportando a dor, eu tentava me acalmar.

Ela olhou embaixo da cama, viu um escorpião e me perguntou o que fazer. A historia de Romeu e Julieta, num segundo, me passou pela cabeça e ainda aturdido brinquei com ela dizendo para pegá-lo vivo na mão. Assim, nós dois teríamos a mesma sorte, emendei.

Ela não teve animo para a brincadeira e falou: Tá maluco? Vou leva-lo para o hospital e é já, complementou.

Ainda sentindo muita dor e vendo que a brincadeira não dera certo, fiquei irritado e insisti com o assunto. Que raio de amor é esse? Onde é que nós estamos? Em outros tempos, respondeu. O amor romântico que você quer, para sorte sua, ficou bem lá atrás. Verdade, pensei eu. O amor agora é direto, prático, independente. Mais real e pé no chão. Já não se fazem serenatas, não se dança de rosto colado e as cartas de amor viraram mensagens curtas de Whatsapp.

Buscando socorro médico

Literalmente, fiquei sem saber se ria ou se chorava. O fato é que a dor estava diminuindo e, bem a contragosto, me vesti e fui para o hospital. Junto, numa caixa de sapato, foi o causador de tudo.

Lá, uma enfermeira, com muito zelo, me informou que ainda não existia antídoto para o veneno. Parece que só o amor mudou e eu vou morrer envenenado do mesmo jeito, reclamei baixinho. Então me aplicaram injeções de analgésico, anti histamínico e anti inflamatório. Fiquei horas em observação na enfermaria. Tempo suficiente para ver gente sofrendo de fato. Tempo suficiente para presenciar as muitas mazelas e abandono do SUS, pelo Governo. Quando tive alta, apesar de ter sobrevivido e o escorpião morrido, senti a grande tristeza do romance de Shakespeare: Agoniza a saúde pública do Brasil.”

Classificação científica – Fonte: Wikipédia
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Chelicerata
Classe: Arachnida
Ordem: Scorpiones (C. L. Kock, 1837)

Famílias:
Akravidae
Bothriuridae
Buthidae
Caraboctonidae
Chactidae
Chaerilidae
Euscorpiidae
Hemiscorpiidae
Iuridae
Microcharmidae
Pseudochactidae
Scorpionidae
Superstitioniidae
Vaejovidae

Escorpiões do deserto

Como Acabar com Ácaros na sua Cama – Colchões e Travesseiros são Infestados


Você pensa em acabar com ácaros que infestam camas, colchões e travesseiros? A maioria das pessoas declara, com toda razão, ter medo de aranhas e escorpiões. E dos ácaros, por que ninguém confessa ter medo?

Ácaros são da mesma família das aranhas e escorpiões. Está na Wikipédia:

“Os aracnídeos (Arachnida) são uma classe do filo dos artrópodes que inclui, dentre outros, aranhas, carrapatos, ácaros, opiliões e escorpiões, compreendendo mais de 60.000 espécies. Ácaro é a designação comum dada aos animais pertencentes à subclasse Acari da classe Arachnida (os aracnídeos). A palavra acari deriva do grego akares, ‘pequeno’. A maioria dos adultos mede entre 0,25 e 0,75 mm de comprimento, embora existam espécies ainda menores.”

Acabar com ácaros - Electron scan micrography of Aceria anthocoptes.

(Photo by Eric Erbe; digital colorization by Chris Pooley. – This image is in the public domain because it contains materials that originally came from the Agricultural Research Service, the research agency of the United States Department of Agriculture.)

Como acabar com ácaros em colchões e travesseiros?

Dormimos com o inimigo. Ácaros adoram almofadas, tapetes, travesseiros, colchões e lugares úmidos. Ácaros domésticos vivem na nossa cama e se alimentam principalmente de restos de partículas de pele. Há muitos tipos de ácaros, vivendo em locais diversos como solo, água e plantas. Vamos limitar nosso universo ao ácaro doméstico, que nos incomoda diretamente e pode causar incômodos e doenças. Podemos encontrar cerca de 100 mil ácaros em um metro quadrado de tapete. É muito ácaro. Quando mortos, transformam-se em poeira fina e inalamos seus corpos e dejetos sem perceber. Assim, essa poeira causa vários tipos de alergias, rinite, asma e dermatites.

Travesseiros devem ser substituídos com frequência. No intervalo das trocas, os travesseiros devem ser colocados ao sol. Se for possível, lavar com água quente. Travesseiros de pena devem ser evitados pois hospedam maior quantidade de ácaros.

Os colchões requerem maior atenção. Não vamos trocar o colchão todos os meses. O meu, por exemplo, me acompanha há 40 anos. Não penso em trocá-lo tão cedo. O que fazer, então, para acabar com ácaros no colchão?

O ambiente deve ser arejado, com janelas abertas. Entrando o sol, melhor ainda. Se possível, use o aspirador de pó na casa toda, dando especial atenção ao colchão. Troque lençol e fronhas duas ou mais vezes por semana.

Acabar com ácaros usando uma fórmula natural

Para evitar intoxicações que inseticidas podem causar, há uma fórmula natural que dizem ser infalível: vinagre e álcool, misturados em partes iguais. O ambiente deve estar arejado, com janelas abertas, para permitir a dispersão do odor do vinagre e facilitar a secagem. A solução deve ser abundantemente borrifada em colchões, travesseiros, tapetes, cortinas, almofadas e em todos os lugares onde os ácaros costumam ficar. Após três horas aspire esses locais e retire os ácaros mortos.

Mantendo a regularidade da aplicação, em pouco tempo sua casa estará livre dos ácaros. De quebra, carrapatos e pulgas também serão eliminados.

Aranhas Mais Perigosas do Brasil – Aranha-Marrom – Viúva Negra – Armadeira


Vamos conhecer as aranhas mais perigosas encontradas no Brasil. Se você for picado por uma aranha, procure socorro médico imediato. Todas as aranhas são venenosas e algumas espécies podem causar necrose do tecido e até levar à morte. Muitos médicos tratam erradamente a ferida com antibiótico por desconhecer o que causou o ferimento. A soroterapia é o tratamento recomendado em caso de picada de aranha venenosa. Existe soro antiaracnídeo (ou antiaracnídico) para seres humanos e para animais domésticos, que também correm os mesmos riscos ao serem picados. No caso dos animais picados por aranha ou qualquer animal peçonhento, o socorro médico-veterinário é necessário e urgente.

A aranha-marrom é comum no sul do Brasil, havendo muitos casos de picadas no Paraná, que está na liderança. Há grande incidência em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. Alguns registros começam a aparecer no Rio de Janeiro.

Biólogo Cláudio Machado com Ana Maria Braga

O biólogo Cláudio Machado, do Instituto Vital Brazil, foi entrevistado por Ana Maria Braga em seu programa diário pela Rede Globo. Além de alertar sobre o que acontece quando somos picados pela aranha-marrom, Cláudio mostrou outras aranhas bastante perigosas para seres humanos e animais domésticos. Assista agora.

Conheça as três aranhas mais perigosas do Brasil

As três aranhas mais perigosas

Três espécies das aranhas mais perigosas conhecidas no mundo estão no Brasil: Aranha-marrom, Viúva Negra e Armadeira. A Armadeira vive principalmente nas bananeiras e vegetais de folhas largas. O veneno da Armadeira é menos tóxico que o veneno da Aranha-marrom (a mais venenosa). A Viúva Negra tem a picada mais dolorida.

Em caso de picada é preciso procurar atendimento médico com urgência para receber o soro antiaracnídico. Lave o local com água e sabão e deixe o veneno fluir. O veneno é necrosante e isolar a área com garrote ou cortar o tecido só vai complicar a situação.

O soro produzido no Instituto Vital Brazil é entregue ao Ministério da Saúde, que o distribui em polos de atendimento em todo o Brasil. O tratamento é gratuito na rede de polos. Procure o polo mais perto de você se precisar de atendimento.

Veja a lista dos polos de atendimento, na página do Instituto Vital Brazil.

Em Araruama, onde vivo, o atendimento é feito no Hospital Municipal Prefeito Armando Silva Carvalho, no distrito de São Vicente.

Locais de atendimento na Região dos Lagos:

Polos de atendimento

Os Postos de Saúde costumam ter ambulâncias para encaminhar o paciente ao polo de atendimento, caso este não consiga se descocar por conta própria.

Aranha-marrom

A ilustração exibida no programa Mais Você, da Rede Globo, mostra a evolução de um ferimento por picada da aranha-marrom.

Como Acabar com Aranhas Dentro de Casa – Aranhas não Gostam de Limpeza


Acabar com aranhas dentro de casa é a preocupação de muita gente. Aranhas não devem ser incomodadas e devemos zelar pela sua preservação, desde que também não nos incomodem.

Nada contra ter aranhas no quintal, tecendo sua teia entre galhos como faz a Argiope Argentata. O desagradável é quando encontramos aranhas dentro de casa.

Por mais que algumas pessoas neguem, é sabido que todas as aranhas têm veneno e todas atacam quando se sentem em perigo. O instinto de sobrevivência fala mais alto. Algumas aranhas abandonam suas teias e partem para o ataque direto, como a Armadeira, por exemplo. Felizmente, somente o veneno de poucas aranhas é letal para seres humanos. Das quatro aranhas mais venenosas, três estão no Brasil, a aranha-marrom, a viúva-negra e a armadeira. Causam feridas muito feias, com necrose do tecido, e o socorro médico é fundamental para evitar o óbito. Outras aranhas possuem um veneno que não mata, mas pode causar desconforto. Melhor manter distância e tomar providências para acabar com aranhas dentro de casa.

Limpeza é o primeiro passo

Aranhas Pholcidaes - como acabar com aranhas

A limpeza é fundamental para impedir a formação de teias, embora algumas aranhas não se instalem em teias. Escovar tetos, lavar o chão usando um bom desinfetante, são hábitos que devem ser adotados. Uma aranha que adora ambientes menos limpos é a Pholcidae (foto). Tem corpo minúsculo e longas pernas finas. É considerada inofensiva. Já a encontrei dentro de panelas mal tampadas e sem uso há algum tempo. Essa foi fotografada ontem, 30 de junho de 2016.

O primeiro cuidado para acabar com aranhas dentro de casa é a limpeza. Essa é a providência mais importante e a que produz efeitos imediatos. Se o piso for cerâmico, lave-o e passe um pano com um bom desinfetante, que acaba com vírus, fungos e bactérias. Costumo usar o Herbalvet-TA pela eficácia e por apresentar o melhor custo/benefício.

Sugestões para acabar com aranhas dentro de casa

  • Use aspiradores de pó, daqueles potentes, para aspirar a casa. Limpe sofás, cantos, rodapés, verifique atrás dos quadros, caixas, armários.
  • Não encoste camas e móveis nas paredes. Mantenha uma distância segura, de cerca de um ou dois palmos.
  • Cobertores não devem encostar no chão. O mesmo se aplica a cortinas.
  • Guarde suas roupas de cama dentro de sacos plásticos bem fechados. Coloque algumas pedras de cânfora no guarda-roupa.
  • Se mora em casa com quintal, mantenha-o limpo, sem entulhos. Além de aranhas, entulhos são excelente abrigo para escorpiões.
  • Cuidado ao usar inseticidas. O veneno não é seletivo e pode fazer mal a você e aos animais domésticos e também matar lagartixas, predador natural das aranhas.

como acabar com aranhas dentro de casa

Aranhas que representam perigo

A aranha-marrom, muito encontrada no Estado do Paraná, é a mais perigosa. Se esconde em rodapés e atrás de móveis. Tem hábitos noturnos e pode atacá-lo durante o sono. Daí a importância de manter a cama afastada da parede e cuidar para que a roupa de cama não vá até o chão, facilitando a escalada da aranha.

Cortinas que chegam até o chão são um convite para a aranha-marrom ir até o trilho e lá se esconder.

Já falamos da aranha-marrom no artigo “Aranha-marrom é bastante venenosa“. Vale a pena ler, pois ela vive escondida dentro de casa.

“Dentro de casa pode ser encontrada atrás de quadros, dentro de sapatos e no meio das roupas. Uma vez fui vestir um calção de banho que estava pendurado em um gancho, na parede do banheiro. Ao pegar o calção, que era branco, lá estava a aranha. Fico pensando no que poderia ter acontecido se o calção fosse de cor escura.”

Além da aranha-marrom, há duas espécies de aranhas com venenos fortíssimos, a viúva-negra e a armadeira. Mas isso é assunto para outro artigo: “Aranhas mais perigosas do Brasil

Fonte externa de consulta: Aranha-marrom Paraná

Aranhas Pholcidaes são Inofensivas – Pholcus Phalangioides é muito Comum


As aranhas Pholcidaes são inofensivas e benéficas, pois capturam insetos dentro de casa. São quase invisíveis por causa do corpo minúsculo e pernas finas. Há muitas espalhadas pela minha casa. Ficam, em sua maioria, na cozinha, embaixo das cadeiras, escondidas perto da máquina de lavar. Quando o ambiente é frequentemente varrido, lavado e limpo, elas não se instalam. Preciso contratar uma assistente para me ajudar nas tarefas domésticas.

Segundo a Wikipédia…

Pholcidae é uma família de aranhas. As espécies integradas nesta família são consideradas inofensivas para os humanos. Algumas espécies, nomeadamente Pholcus phalangioides, são comuns em habitações e outras construções que tenham locais abrigados e sombrios.

Aranhas Pholcidaes

As aranhas Pholcidaes não vão se intrometer na sua vida. Então, deixe-a quieta em seu cantinho. Ela o ajudará e eliminar mosquitos e outros insetos. Quando ameaçada ela balança a teia e pode até abandoná-la correndo pelo chão com suas grandes pernas. Dizem que as aranhas Pholcidaes não têm veneno ativo e a picada é indolor. Há também uma lenda que diz que estas são as aranhas mais venenosas que vivem nas casas. Felizmente é apenas lenda.

Classificação científica das Aranhas Pholcidaes

  • Reino: Animalia
  • Filo: Arthropoda
  • Classe: Arachnida
  • Ordem: Araneae
  • Subordem: Araneomorphae
  • Superfamília: Pholcoidea
  • Família: Pholcidae
  • Género: Pholcus
  • Espécie: Pholcus phalangioides

(Fonte: Go Biólogo)

 

Argiope Argentata ou Aranha-de-prata é Comum nos Quintais e Também Tem Veneno


Quem mora em casa com quintal, certamente já encontrou a aranha-de-prata, cujo nome científico é Argiope Argentata, tecendo sua teia entre folhas e galhos. Fotografei poucas aranhas em minha vida, mas esta foi a primeira que encontrei no meu refúgio atual. Fiquei fascinado pela sua beleza e a forma em X como se posiciona no centro da teia.

A argiope argentata ou aranha-de-prata é comum nos quintais com pomar e até em paredes externas da casa. Tem coloração amarela, branca, preta e prateada. Estas aranhas são consideradas inofensivas, segundo o comentário de alexandramartins148 no Instagram.

“Todas as aranhas têm veneno. Quando elas capturam sua presa injetam o veneno que irá transformar todos os órgãos da presa em sopa. Assim, elas sugam seu alimento. As únicas aranhas no Brasil que têm um veneno forte o suficiente para matar um adulto são as armadeiras, aranha marrom e viúva negra. As demais irão causar apenas febre, dor e inchaço.” 

Ainda no Instagram, javiercanteros comentou:

É uma Argiope A. Argentata, que não é perigosa para os humanos.

Reconheça a Argiope Argentata

Esta imagem foi feita há mais de 10 anos e publicada no Alma Carioca:

argiope argentata ou aranha-de-prata

argiope argentata ou aranha-de-prata

Como a maioria dos animais, a aranha Argiope Argentata não vai incomodar o ser humano e nem sair a teia. Deve ficar em paz, tecendo sua teia geométrica e se alimentando de insetos. Não deve ser morta ou ter a teia destruída. Vive pouco mais de dois anos. É maior do que o macho e o mata após o acasalamento.

  • Reino:Animalia
  • Filo:Arthropoda
  • Classe:Arachnida
  • Ordem:Araneae
  • Família:Araneidae
  • Gênero:Argiope
  • Espécie:A. argentata
  • Saiba mais…

Há muitos artigos, alguns ricamente ilustrados, sobre esta aranha. Estão disponíveis na internet, bastando acessar seu buscador preferido.

Agradeço a Alexandra (alexandramartins148)e Javier (javiercanteros) pelos comentários no Instagram que possibilitaram arealização desta matéria.

Resposta sobre Argiope Argentata ou Aranha-de-prata

 

Aranha-marrom é Bastante Venenosa


Se você vive no Paraná, deve estar bem familiarizado com a Aranha-marrom. O Paraná é o estado brasileiro onde há maior incidência deste tipo venenoso de aranha. Em Minas Gerais, onde a Aranha-marrom só era vista na área rural, já há relatos de casos nas cidades, inclusive em Belo Horizonte. No Rio de Janeiro e em outras regiões do Brasil predomina a aranha Nephilengys Cruentata, que prefere as partes externas das construções, perto de lâmpadas e telhados, para armar a sua teia.

aranha-marrom

A Aranha-marrom, conhecida em Portugal como Aranha-violino, é perigosa pelo seu veneno e por viver escondida. Dentro de casa pode ser encontrada atrás de quadros, dentro de sapatos e no meio das roupas. Uma vez fui vestir um calção de banho que estava pendurado em um gancho, na parede do banheiro. Ao pegar o calção, que era branco, lá estava a aranha. Fico pensando no que poderia ter acontecido se o calção fosse de cor escura.

Reconhecer a Aranha-marrom é um pouco complicado, pelo seu tamanho. Não há como contar os pares de olhos para ver se a espécie tem 3 ou 4 pares. Quem vai encontrar pelos em suas patas? Como dizia o saudoso Bussunda: “Fala sério!”

Evitando a Aranha-marrom

Se há lagartixas em sua casa, fique satisfeito. Lagartixas são seus principais predadores. Como a Aranha-marrom é pequena, medindo no máximo 4 cm de envergadura, a lagartixa consegue destruí-la com facilidade.

Afaste camas, poltronas e sofás das paredes. Não deixe lençóis encostando no chão.

Mantenha os cômodos da casa sempre limpos, sem acumular caixas vazias, que elas adoram usar como abrigo. No banheiro, use água sanitária no chão e paredes. Limpe embaixo da pia.

O que fazer se for picado pela Aranha-marrom

A picada da Aranha-marrom é discreta, indolor, quase não deixando marcas. Não se anime. Após 12 horas o local começa a inchar e ficar vermelho. Dependendo da quantidade de veneno, a urina fica mais escura e começa o quadro febril. Se não for feito um tratamento médico o tecido vai necrosar, os rins começam a falhar e até levar o paciente ao óbito.

O local deve ser lavado com água e sabão. Nada mais deve ser feito, a não ser procurar socorro médico com urgência, de preferência levando a aranha viva ou morta.

Fontes:

Agradeço ao meu sobrinho Raphael, que mudou-se para a Austrália, pela linda foto que tirou e me enviou. Trata-se de uma aranha de grande porte, o que descarta ser a nossa conhecida Aranha-marrom, mas que possibilitou pesquisar o assunto. A aranha estava na janela do seu quarto. Alguém a identifica?

Meu sobrinho acredita que seja uma HUNTSMAN, que significa CAÇADOR.

aranha da Austrália - Foto de Raphael Teixeira aranha na Austrália

Doenças Transmitidas por Carrapatos – Erliquiose, Babesiose e Febre Maculosa


Erliquiose, Babesiose e Febre Maculosa são doenças transmitidas por carrapatos e tanto podem infectar animais quanto seres humanos. Se não tratadas logo no início da infecção, podem ser fatais.

Características das principais doenças transmitidas por carrapatos

A Erliquiose é transmitida por uma bactéria, a Ehrlichia canis, cuja principal característica é destruir os glóbulos brancos do sangue.

A Babesiose é causada pelo protozoário Babesia canis, que destrói os glóbulos vermelhos.

A Febre Maculosa é causada pela bactéria Rickettsia rickettsii. Esta bactéria destrói os vasos sanguíneos e pode levar ao óbito se não for tratada logo no início da infecção.

Onde vivem os carrapatos?

doenças transmitidas por carrapatos

Os carrapatos precisam de um hospedeiro para sobreviver, pois alimentam-se de sangue. São encontrados em cavalos, bois, capivaras, cães, gatos e no ambiente. Canis, gramados, muros e telhados são esconderijos preferidos. Os carrapatos não gostam de locais muito iluminados. Os gatos, assim como os humanos, conseguem remover o parasita ao se sentirem incomodados, razão pela qual são menos infectados. Quando o carrapato encontra o hospedeiro, precisa de quatro horas até se instalar em local confortável e começar a sugar o sangue. Daí a importância de estar sempre examinando o corpo, seu e dos animais, se estiverem em área com muita incidência de carrapato.

Alguns sintomas das doenças transmitidas por carrapatos

Erliquiose – Febre, falta de apetite (já vi animais que não perderam o apetite, mesmo doentes), perda de peso, tristeza, sangramento nasal e urinário, dificuldades respiratórias. Na fase crônica o abdômen fica sensível, o baço e fígado aumentam de tamanho, o sistema imunológico comprometido.

Babesiose – Febre, icterícia, fraqueza, depressão, falta de apetite, aumento do baço, palidez nas mucosas, anemia.

Febre maculosa – Febre, dor no corpo, inapetência, dor de cabeça e desânimo, manchas na palma da mão e planta dos pés.

Tratamento das principais doenças transmitidas por carrapatos

Cada uma dessas doenças tem um tratamento específico:

A Febre maculosa merece mais atenção pois é muito grave e pode levar o paciente ao óbito se o tratamento não for iniciado imediatamente após a infecção. Pelos sinais clínicos o tratamento com tetraciclina e clorafenicol deve ser iniciado. Se os exames indicarem ausência da doença o tratamento poderá ser interrompido ou alterado, a critério do médico ou veterinário. A doença é uma zoonose e tanto acomente animais quanto seres humanos.

Erliquiose é tratada com antibióticos (doxiclina). Na fase inicial o tratamento dura 21 dias. Na fase crônica pode ser necessário ministrar o antibiótico por até 8 semanas.

Babesiose deve ser tratada com o combate ao parasita, usando piroplasmicidas (Babesicida) e medicamentos para corrigir os problemas que este parasita causou, como anemia e insuficiência renal.

Este foi um breve resumo das três principais doenças transmitidas por carrapatos, especificamente o carrapato-estrela. Sobre a febre maculosa temos artigo completo no Tudo Sobre Bichinhos. Babesiose e Erliquiose estão bem detalhadas no Tudo Sobre Cachorros. Leitura recomendada.

Febre Maculosa é Transmitida por Carrapatos e ataca Homens e Animais


A febre maculosa pode matar. Isso mesmo: se o tratamento da febre maculosa não for iniciado em até uma semana após a contaminação, pode ser tarde demais. A bactéria causadora da febre maculosa, a Rickettsia rickettsii, destrói os vasos sanguíneos e a consequência é uma infecção generalizada que leva ao óbito. O tratamento deve ser iniciado antes mesmo da confirmação da doença através dos exames de sangue. A Febre Maculosa é uma zoonose, atacando homens e animais.

O carrapato-estrela, um hematófago cuja fase reprodutiva está começando com a chegada do inverno, é o principal agente transmissor da febre maculosa.

O que é a febre maculosa e como a contraímos

A febre maculosa é uma doença que não acontece com grandes epidemias. A febre maculosa precisa de um carrapato infectado para ser transmitida, o que não acontece com frequência. Este carrapato precisa estar no corpo do paciente por algum tempo, cerca de quatro horas, para que se instale adequadamente e comece a se alimentar de sangue. O carrapato-estrela, principalmente o menorzinho, mais jovem, é o transmissor da febre maculosa. O carrapato jovem, por ser muito pequeno, é difícil de ser localizado na pele, sendo confundido com manchas e pintas. Depois de instalado, preso na pele, começa a sugar o sangue e injetar saliva contaminada. Isso leva algumas horas para acontecer. Se o carrapato for retirado antes disso não acontece a contaminação.  A remoção do carrapato da pele deve ser cuidadosa. Puxar pode quebrar o aparelho bucal do parasita. O carrapato deve ser torcido, com o auxílio de uma pinça ou lenço de papel.

Sintomas da febre maculosa

Febre, que pode ser confundida como uma série de doenças clássicas como gripe, dengue, leptospirose. Dor no corpo, inapetência, dor de cabeça e desânimo são alguns sintomas. Após 5 dias aparecem manchas até na palma da mão e planta dos pés. É aí que está a diferença que dispara o alarme. Se não tratada, a bactéria começa a se instalar em ninhos pela pele, fígado, sistema nervoso, qualquer local que tenha paredes de vasos sanguíneos e começa a destruição generalizada. A bactéria se espalha irreversivelmente pelo corpo. Se não tratada até o sétimo dia de seu inínio a doença se torna irreversível. O paciente morre. Então, mesmo sem o resultado do exame, o tratamento deve ser iniciado. O exame específico chama-se reação de imunofluorescência indireta (RIFI)

Febre maculosa é transmitida por carrapatos

Principais hospedeiros do carrapato

Cavalos, bois, aves, cachorros, capivaras, plantas, não havendo limites entre região rural ou urbana. Passeando por sítios ou fazendas, andando a cavalo, examine o corpo a cada três horas. Use roupas claras, calças compridas, botas e meias. O melhor mesmo seria evitar esses locais para não correr riscos desnecessários.

Tratamento da febre maculosa

Segundo consta no site do Dr. Drausio Varella, referência em medicina,

“A febre maculosa brasileira tem cura desde que o tratamento com antibióticos (tetraciclina e clorafenicol) seja introduzido nos primeiros dois ou três dias. O ideal é manter a medicação por dez a quatorze dias, mas logo nas primeiras doses o quadro começa a regredir e evolui para a cura total.

Atraso no diagnóstico e, consequentemente, no início do tratamento pode provocar complicações graves, como o comprometimento do sistema nervoso central, dos rins e pulmões, das lesões vasculares e levar ao óbito.”

Saiba tudo sobre a febre maculosa e a febre Q. Assista ao vídeo.

Ligado em Saúde – Febre Maculosa e Febre Q: esta edição da Ligado em Saúde fala sobre a febre maculosa e a febre Q, que são doenças causados pelo carrapato e por terem sintomas muito parecidos com outras doenças infecciosas são negligenciadas, mas se não forrem tradas adequadamente podem levar a morte. A apresentadora Mônica Bittencourt conversa com a Dra. Elba Lemos, pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).
Programa exibido em 13 de maio de 2015.

ARANHA Nephilengys Cruentata


A parte externa das casas, principalmente perto de lâmpadas, serve de abrigo para a aranha Nephilengys Cruentata, uma aranha de grande porte que costuma assustar os moradores. As fezes se espalham pelo chão e denunciam a sua presença. As teias geralmente são feitas perto de lâmpadas pois estas costumam atrair insetos quando acesas, facilitando a caça noturna. Falando em insetos, aranhas não são insetos.

As lagartixas seriam seus predadores naturais, mas muitas vezes acabam sendo devoradas por elas.

Sobre a Aranha Nephilengys Cruentata

Aranha Nephilengys Cruentata

Classe: Arachnida
Orde: Araneae
Familia: Nephilidae
Espécie: Nephilengys Cruentata

Aranhas não são insetos. Ambos pertencem ao mesmo filo (dos artrópodes), mas as aranhas são de uma classe diferente, a dos aracnídeos.

“Insetos são invertebrados com exoesqueleto quitinoso, corpo dividido em três segmentos (cabeça, tórax e abdome), três pares de patas articuladas, olhos compostos e duas antenas. As aranhas apresentam oito pernas e maioritariamente quelíceras que injetam veneno, diferenciando-se anatomicamente dos restantes artrópodes por um plano corporal (tagmose) caracterizado por dois tagmas, o cefalotórax e o abdome, unidos por uma estrutura pequena e cilíndrica, o pedicelo. Ao contrário dos insetos, as aranhas não apresentam antenas e possuem um sistema nervoso bem desenvolvido e centralizado, o mais centralizado de entre os artrópodes.” (Wikipédia)

Origem da aranha nephilengys cruentata

A origem da aranha Nephilengys Cruentata é o continente africano. É muito comum no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Não costuma atacar seres humanos. Prefere levar sua vida em se importar com estranhos. Não há informações sobre a toxidade de seu veneno, embora todas as aranhas sejam venenosas. O importante é procurar socorro médico imediato em caso de ser picado por qualquer aranha. Embora algumas não tenham potencial venenoso para matar um homem adulto, podem causar necrose do tecido em volta do ferimento.

Esta imagem foi feita agora cedo, dia 20 de agosto de 2014. A aranha armou sua teia sob o telhado, em cima do tanque de lavar roupas, que sempre amanhece imundo por fezes. Geralmente ela está recolhida em seu casulo pela manhã, mas hoje ainda estava limpando a teia, sinal que houve muito trabalho durante a madrugada. Percebe-se claramente as manchas amarelas e o abdome vermelho.

Outra aranha da mesma espécie, que até ontem se fazia presente, hoje desapareceu. A teia está vazia. Onde estará? O que teria acontecido com ela? Pior do que ver uma aranha é deixar de vê-la e não saber onde está!

Mais uma aranha nephilengys cruentata apareceu em minha casa

nephilengys-cruentata-2

Em setembro de 2016 apareceu outra aranha em minha casa, escondida sob o tanque, e pude fotografar bem de perto. Mostrou-se bem calma, ignorando a minha presença. Tirei várias fotos bem de perto. Aguardo que uma bióloga examine a foto ao lado, que compartilhei no Instagram, para ter a confirmação oficial de que se trata de uma Aranha Nephilengys Cruentata. O primeiro vídeo não mostrava um bom ângulo e mereceu este comentário:

“Huum, chutaria ela por ter a coloração bem parecida e ser muito comum por ai… Mas certeza eu só dou da família, Nephilidae

Vamos ver se esta foto, tirada agora cedo, facilita a identificação.

A primeira aranha desta família, que vi aqui em casa e cuja foto aparece logo no início do artigo, possuía o abdome marcado de vermelho. Esta mostra o abdome com uma nítida mancha na cor amarelo.