Qualidades e Defeitos do PUG – Vale a Pena Ter um PUG?


Após ler muitos artigos falando do PUG, fiquei em dúvida se valeria a pena ou não comprar um cãozinho dessa raça. Comprar, sim. Cães da raça PUG não são doados, pois têm alto valor de mercado, custam caro, assim como os da raça Shih Tzu, Lulu da Pomerânia, Yorkshire Terrier, Lhasa Apso, falando apenas das raças pequenas. Foi então que me veio a ideia de pesquisar as principais qualidades e defeitos do Pug. Isso ajudaria, não só a mim, mas a quem também estivesse com dúvidas na hora de escolher um cachorrinho de estimação.

Características do PUG

A raça é originária da China. Os machos têm, em média, 30 cm de altura e as fêmeas 25. Não é considerada uma raça excepcionalmente inteligente. Tudo que escrever sobre as características técnicas do Pug será insuficiente para igualar ou superar o que o site Tudo Sobre Cachorros, da Halina Medina, já publicou sobre a raça. Recomendo a leitura a quem quiser saber tudo sobre o PUG.

Muitos confundem o Buldogue Francês com o Pug, mas são bem diferentes, a começar pelo tamanho e origem. O buldogue francês é originário da França, como o nome indica. Já o PUG, tem origem na China. As orelhas do PUG são caídas, as do Buldogue Francês são levantadas.

Qualidades e Defeitos do PUG

Qualidades e defeitos do Pug. Vale a pena ter um Pug? Esta é Valentina.

Ter um cachorro com alto valor no mercado é sempre um motivo de preocupação. Pug e Shih Tzu são as raças preferidas pelos ladrões.

Vantagens e desvantagens do PUG

Consultei vários sites especializados em cachorros e, especificamente, em PUGS. Todos eles relacionam quase as mesmas vantagens e desvantagens, as mesmas qualidades e defeitos do PUG. Quem não convive com um PUG precisa obter a informação de alguma forma. Preferimos consultar os proprietários de PUGS. Se você tem um PUG, deixe um comentário com a sua impressão. Vamos enriquecendo o artigo com a informação de quem conhece a raça melhor do que ninguém.

Enquanto isso, aqui está o que compilamos:

Desvantagens do PUG

Cães da raça Pug não toleram o calor. Há o risco de hipermermia. Tome bastante cuidado ao sair de carro com ele.

Os olhos salientes são alguns de seus pontos fracos e precisam de atenção especial. As dobras da face precisam ser limpas constantemente. Podem acumular fungos.

Apresentam, em muitos casos, pouca resistência física e problemas respiratórios.

Dormem muito, pois têm pouca energia física.

São difíceis de serem treinados, costumam demorar a aprender a fazer xixi no lugar certo.

Têm tendência a engordar e soltam muitos pelos. Precisam ser escovados com frequência.

Roncam muito. Dizem que soltam gases com mais frequência que o considerado aceitável.

A reprodução é mais complicada do que o normal. A gestação deve ser acompanhada pelo veterinário e, possivelmente, pode ser necessária realizar uma cesariana ou auxiliar no momento do parto. Isso se deve ao diâmetro do crânio.

Vantagens do PUG

PUGS são muito carinhosos e apegados ao dono, mas não são carentes.

Gostam de brincar e fazem amigos com facilidade. São sociáveis com outros cachorros, crianças, idosos e alguns estranhos.

Algumas pessoas os consideram muito inteligentes. Outros, nem tanto. Na verdade, são cães de inteligência média.

Latem pouco (talvez por cansar muito).

São limpos, silenciosos, pequenos e gostam de colo. Embora pequenos, pesam bastante. Têm tendência a engordar, pois comem mais do que gastam em atividades físicas.

Conclusão

Vale a pena ter um PUG?

As raças de cães têm suas características próprias, mas devemos levar em conta a personalidade de cada ser daquela raça. Isso pode fazer toda a diferença. A escolha daquele que será seu amigo e companheiro pelos próximos 14 ou 15 anos é muito pessoal, depende da troca de energias que se manifestará pelo olhar na hora da escolha. É amor a primeira vista, olho no olho, alma na alma.

Cachorros de raça devem ser adquiridos de criadores responsáveis, registrados. Não se arrisque comprando de quem você não conhece. O animalzinho pode ter sido roubado e, agindo assim, você estará estimulando a continuidade dessa prática criminosa. Ninguém está livre de ser a próxima vítima.

Criadores clandestinos sacrificam as matrizes obrigando a que se reproduzam até a morte. Há muitos artigos e vídeos mostrando o estado lastimável desses animais. A raça humana não tem limites quando se trata de ganhar dinheiro. Felizmente não são todos que pensam assim.

A cachorra deitada no tapete chama-se Valentina (Vavá, para os íntimos). Mora no Rio de Janeiro. Agradeço à minha amiga Ana Clara por ter atendido ao meu apelo e enviado a foto.

Se você tem um PUG, não esqueça de deixar a sua opinião nos comentários.

 

 

 
992 views

Deixe uma resposta

Name and email are required. Your email address will not be published.