Surucucu-Pico-de-Jaca – Cobra mais Venenosa do Brasil – Bushmaster – Mestre das Florestas


As cobras do grupo das surucucus são responsáveis por apenas 2% dos acidentes no Brasil. Isso acontece porque as surucucus vivem em áreas de matas ainda preservadas, onde quase não há ocupação humana. É neste grupo, o das surucucus, que está a cobra mais venenosa do Brasil, a Surucucu-pico-de-jaca. Esta cobra é conhecida por Bushmaster (Mestre das Florestas). Seu nome científico é Lachesis muta. Além de ser a cobra mais venenosa do Brasil, pode atingir quase 5 metros de comprimento.

Surucucu avança nas pessoas

surucucu-pico-de-jaca a cobra mais venenosa

Orlando Villas Bôas e Claudio Villas Bôas, no livro “A marcha para o oeste“, contam que a surucucu-pico-de-jaca é a cobra mais temida do Brasil. É a única cobra venenosa que avança nas pessoas e tem um bote poderoso, tanto em distância quanto em altura. Essa má fama acaba fazendo dela, muitas vezes, uma vítima. Quem a encontra pelo caminho não descansa enquanto não matá-la.

Nativa da Amazônia e Mata Atlântica, é considerada uma espécie vulnerável, um estágio antes de ser considerada uma espécie em extinção.

Como atua o veneno da cobra mais venenosa

O veneno da Cascavel atua sempre no sistema nervoso central. O veneno da Jararaca atua localmente, provocando pequenas e grandes hemorragias que podem se propagar pelo corpo. O veneno da surucucu-pico-de-jaca é de ação mista, atuando tanto localmente, causando hemorragias, quanto no sistema nervoso central. Quem for picado por ela precisa receber o soro antiofídico, Antibotrópico-laquético, imediatamente.

No Brasil existem 4 grupos de serpentes venenosas: Jararaca, responsável por 90% dos acidentes, Cascavel (7%), Surucucu (2%) e Coral (1%).

Ainda temos muito a contar sobre cobras e lagartos. Fique com a gente.

Diferenças entre Jacarés e Crocodilos – Onde vivem – Comportamento – Agressividade


Embora sejam muito parecidos e ambos sejam répteis, jacarés e crocodilos pertencem a famílias diferentes. As diferenças entre jacarés e crocodilos começam, mas não terminam por aí.

Os crocodilos pertencem a uma família numerosa, com quatorze espécies. Vivem nas margens dos rios mas também são encontrados no mar. Banho de mar na Austrália e Ilhas do Pacífico é arriscado, ainda mais que o crocodilo-de-água-salgada é o maior réptil encontrado na face da Terra e não possui predadores naturais. Felizmente o Brasil está livre dos crocodilos. Já bastam os tubarões em nossas praias.

Os jacarés pertencem a outra família, que se dividem em quatro gêneros: Caiman (Jacaretinga, Jacaré-de-Papo-Amarelo e Jacaré-do-Paraguai), Paleosuchus (Jacaré Anão e Jacaré-Coroa), Alligator (Jacaré-Americano e Jacaré-da-China) e Melanosuchus (Jacaré-Açu). Fonte: Colégio Web

diferenças entre jacarés e crocodilos

O Jacaré-de-Papo-Amarelo é nosso velho conhecido. Nas lagoas e canais da Barra da Tijuca e Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, são encontrados jacarés dessa espécie. O nome Jacarepaguá é muito significativo. Concordam? Segundo matéria publicada pelo portal O DIA em abril de 2014, “estima-se que só no Complexo Lagunar de Jacarepaguá (de 280 km², composto pelas lagoas da Tijuca, Camorim, Jacarepaguá e Marapendi), existam pelo menos 4 mil animais dessa espécie.” Jacarés de Papo Amarelo podem chegar a mais de três metros de comprimento e são comuns em pântanos desde a Argentina, passando pelo Paraguai, Uruguai, Bolívia até o norte do Brasil. O crescimento urbano contribui para a extinção da espécie.

Anatomia – Algumas diferenças entre jacarés e crocodilos

Cada uma das duas famílias tem características próprias. As principais, segundo a matéria publicada pelo site Colégio Web, são:

Jacarés: 

Focinho mais largo e com formas mais arredondadas. Dentes desalinhados. Ventre sem escamas.

Crocodilos:

Cabeça mais comprida e o focinho mais afilado. Dentes perfeitamente alinhados. No ventre, os crocodilos apresentam escamas com poros glandulares, o que não aparece no ventre dos jacarés.

Os crocodilos costumam ser maiores do que os jacarés, mas há espécies de jacarés que superam em tamanho algumas espécies de crocodilos. O jacaré-açu, por exemplo, é maior do que o crocodilo-anão.

Ajude a preservar os jacarés brasileiros, principalmente os que estão acuados em áreas urbanas. Não jogue pedras e outros objetos e não os alimente. Eles sabem procurar sua comida. Os jacarés não atacam o homem, a menos que se sintam ameaçados. Deixe-os viver! Passe essa ideia adiante.

 

Quem tem Medo de Lagartixa?


Você tem medo de lagartixa? Muita gente vai responder que não tem medo de lagartixa, mas sente uma certa repugnância. A lagartixa que vemos em nossa casa, a lagartixa-doméstica-tropical (Hemidactylus mabouia), é um réptil, parente dos dinossauros, assim como lagartos, jacarés, cobras, tartarugas, crocodilos e tantos outros animais tão diferentes entre si.

Os répteis são classificados em Quelônios (tartarugas), Squamata (ofídios e lacertílios) e crocodilianos. A lagartixa está no grupo dos lacertílios, assim como lagartos, iguanas, calangos, e camaleões. Talvez o medo das lagartixas tenha origem no grupo a que pertencem, Squamata, que incluem as cobras. Além disso, nossas mães e avós incutiam ideias assustadoras sobre o pobre animalzinho. O fato é que as lagartixas não são venenosas, mas devemos ter cuidados de higiene ao tocá-las, pois se alimentam de baratas, aranhas, mosquitos e andam por lugares não muito limpos. Além disso, carregam parasitas que podem contaminar animais domésticos.

Lagartixa morde?

quem tem medo de lagartixa

Para quem pergunta se lagartixa morde, a resposta é sim. Claro que morde, mas não morde seres humanos. Ela se alimenta pela boca e é uma caçadora muito ágil. Adora caçar mosquitos, moscas, baratas, aranhas, pequenos escorpiões e insetos em geral. São notívagas e andam pelas paredes e tetos com muita facilidade. Raramente caem, mas de vez em quando isso pode acontecer. Ao contrário do que muita gente pensa, lagartixas não têm ventosas  mas uma série de cílios que as mantêm nas posições consideradas impossíveis.

Medo de lagartixa

A lagartixa evita o contato com seres humanos e fará tudo para desaparecer da sua vista. Se você encontrar uma lagartixa dentro de casa, deixe-a em paz. Não a espante ou mate. Ela está ajudando a manter sua casa livre de animais perigosos e nocivos. A lagartixa é sua aliada nesta luta. Sua perspicácia fará com que ela permaneça imóvel enquanto você olha para ela. Basta um descuido, uma piscadela mais longa, e ela desaparece como em um passe de mágica. Ela também sente medo, medo dos seres humanos.

Lagartixas e gatos

Os gatos, exímios caçadores, divertem-se tentando alcançar as lagartixas nas paredes e muitas vezes conseguem. Brincam com ela, que logo perdem a cauda, e acabam por matá-las e comer parte do seu corpo. O perigo está aí, pois os gatos podem ser contaminados por um parasita que se aloja em suas vísceras e contrair lesões na vesícula, pâncreas, intestino e pulmões. A doença é tratada com vermífugos e antibióticos, após consultar o veterinário. Gatos que vivem livres têm maior possibilidade de contaminação.

Assim é a lagartixa, companhia frequente nas noites de verão, perto de lâmpadas e onde houver alimento.