Alimentação Levanta Defunto Para Cães e Gatos


Levanta defunto não é um termo muito simpático. Pensei até em não utilizar. Mas não encontrei outra expressão mais apropriada.

Uma frase atribuída a Hipócrates, o Pai da Medicina, é bastante objetiva:

“Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio”.

Entre remédios e alimentos, sempre preferi os alimentos naturais.

Quem se alimenta corretamente, dificilmente ficará doente. Se um dia vier a adoecer, a alimentação adequada poderá restabelecer rapidamente a saúde na maioria dos casos. Isso vale para todos, humanos e não humanos.

Qual é a alimentação “Levanta Defunto”?

Já tive muitos bichinhos que morreram de velhice. Aos poucos foram deixando de comer, permaneciam muito tempo deitados e foram perdendo as forças. Quase no fim da vida não se levantavam mais, nem para comer ou para fazer as necessidades biológicas. Até que um dia… falência total dos órgãos… e apagavam.

alimentação levanta defunto

Nick, um cachorro que retiramos das ruas há treze anos, além de estar quase cego e com um tumor na boca, começou a ficar na caminha mais tempo do que o normal. Além disso, ele que sempre foi comilão, parou de se alimentar. Não tinha mais o apetite que sempre foi sua característica.

Não fiquei passivo, embora tivesse poucas esperanças de salvá-lo. Mas, pensei, vamos tentar.

Comprei uma latinha de RECOVERY, ração em lata da ROYAL CANIN, importada, que custa bem caro para o padrão do consumidor brasileiro. Uma latinha de 195 gramas custa quase 30 reais e dura dois dias no máximo. Resolvi fazer uma tentativa, já que ele não queria se alimentar. Então, optei por encher uma seringa de 5 ml (sem a agulha, claro) e ir despejando vagarosamente na sua boca, pelas laterais, dando tempo para ele saborear e engolir. Enchia umas 10 seringas, cerca de 50 ml, e dava pela manhã e à tarde. Ele gostou do sabor. Se alimentava com prazer. Entre as duas refeições colocava na seringa a ração em lata comum, diluída em um pouquinho de água, além de água de coco natural, Vitamina C, e os medicamentos para cães idosos receitados pelo veterinário. Aos poucos, Nick foi se recuperando. Em uma semana já estava com o velho apetite furioso, pedindo a carne moída com arroz que costumo fazer.

Alimentação Especial Levanta Defunto

alimentação levanta defunto

Agora parece um cachorro jovem, comendo bem, latindo bastante, correndo atrás dos gatos (mesmo estando quase cego). O tumor da boca, pode ser impressão minha, mas parece ter diminuído de tamanho.

Tomara que seja verdade.

Fica o conselho:

Quando tudo parecer perdido, não desista. Cumpra a sua missão, o seu dever.

Embora muitas vezes nos sintamos perdidos e abandonados, não estamos sozinhos e a ajuda sempre vem de acordo com o que fazemos e merecemos. Insista. Não desista nunca!

Never Give Up!

 

Animal Idoso: Você está preparado?


Cuidar de um animal idoso não é tarefa fácil. Requer tempo, dinheiro e, principalmente, amor, muito amor. A quantidade de cães idosos abandonados nas ruas e na porta da Suipa demonstram que as três condições, principalmente amor, nem sempre estão presentes. Por outro lado, vemos que há pessoas que vivem nas ruas, em condição de total miséria, e que compartilham o pouco que têm com seus animais de estimação. Nas noites frias de inverno dormem juntinhos, para se aquecer. Podemos concluir que, havendo amor, tudo se resolve.

Conheço pessoas que compram animais de estimação, principalmente cães e gatos caríssimos, como se fossem brinquedos. Vira-latas, nem pensar. Na primeira viagem de férias, dificuldade financeira ou mudança de interesse, descartam o animalzinho. Usam e jogam fora. Na idade avançada pensam em sacrificar o animal idoso, como se estivessem praticando uma caridade, “evitando sofrimentos”. Para estes, a eutanásia significa eliminar um problema rapidamente, gastando pouco. Esquecem que velhice não é doença e todos passarão por esta fase, se não morrerem antes.

Responsabilidades ao cuidar de um animal idoso

medicando um animal idoso

Não vamos prolongar o assunto. Cada um de nós é senhor da sua vontade e de suas decisões. Penso que antes de adotar um lindo cachorrinho ou gatinho, devemos estar conscientes que, se temos hoje 70 anos, estaremos com mais de 80 na velhice do animal. Também estaremos velhos e precisando de cuidados. Teremos condições de cuidar do bichinho e de nós mesmos? (Já falamos sobre isso em outro artigo). Poderemos dedicar parte de nossa renda para comprar medicamentos especiais, todos eles caríssimos? Ou seremos egoístas, insensíveis, verdadeiros assassinos, ao determinar o fim do ciclo de vida daquele que nos acompanhou durante sua vida?

Estou cuidando do Nick, um animal idoso que vive conosco há quase 14 anos. Foi retirado das ruas quando novinho, assim como aconteceu com os animais com quem convivi e outros com quem ainda convivo. Nick não tem se alimentado, perdeu o apetite que sempre foi sua característica, obrigando-me a servir o alimento especial (importado) na seringa, assim como a água de coco servida regularmente. Os remédios para idosos fazem parte da rotina diária. A vista merece cuidados especiais. Está praticamente cego. As pernas fraquejam.

alimentando um animal idoso

Mas, estamos juntos!

Gatos de rua correm mais riscos do que imaginamos


Sabemos que gatos de rua, que infelizmente não são poucos, correm riscos de morrer por envenenamento, acidentes, brigas com outros gatos, etc. Nem sempre as tão faladas sete vidas conseguem mantê-los vivos por muito tempo. Um gato de rua vive em média de dois a três anos. Os que vão à rua eventualmente, tem uma sobrevida maior, mas também acabam morrendo prematuramente.

O contato de um gato doméstico com gatos de rua, seja porque ele costuma sair de casa ou porque você se encantou por um gatinho de rua e resolveu alimentá-lo em sua casa, pode transmitir doenças sérias e incuráveis. A FIV e a FeLV são as mais conhecidas e temidas.

Gatos de rua podem estar doentes sem sinais aparentes

FIV é a imunodeficiência felina, a AIDS. FeLV é a Leucemia Felina. São doenças incuráveis e transmitidas de gato para gato.

A FIV é transmitida pelo contato com o sangue. Brigas com ferimentos causam o contágio, se um dos gatos estiver infectado. Uma gata portadora do vírus pode transmitir a doença aos filhotes.

A FeLV pode contaminar outros gatos de maneira mais ampla e assustadora. Basta um contato com a saliva, secreções, contato com fezes e urina. Compartilhar a caixinha de areia, a vasilha de alimento e até mesmo de água pode espalhar a doença.

Branquinho é um dos gatos de rua que visitam o meu quintal. Pode estar contaminando por FIV ou FeLV.

Um gato de rua muito simpático e sociável chegou pedindo comida. Estava faminto. Dei alimento e água, além de um comprimido de vermífugo, segundo o método infalível que aprendi para dar comprimidos a gatos.  Meu gato, Leléu, passou desconfiado.

Sabendo que a transmissão das duas doenças só acontece entre gatos, não atingindo humanos e outros animais, devemos estar cientes dos riscos que corremos ao deixar nosso gato solto pelas ruas  ou oferecer alimento e água aos gatos de rua. É uma decisão difícil, mas necessária. Uma opção seria adotar o gatinho abandonado que se aproximou de você, fazer os exames de sangue em clínica veterinária e vacinar. O exame de sangue, no entanto, não é inteiramente confiável e resultados positivos podem ser mascarados. O método ELISA fornece o resultado praticamente na mesma hora.

O assunto é vasto e indico a quem se interessar um artigo bem completo publicado pelo CAT CLUB, “Vamos falar sobre FIV e FeLV – Doenças em Gatos”.

 

Cor da pelagem do gato e seu significado


Gatos negros, brancos, amarelos, cinzas… A cor da pelagem do gato significa alguma coisa? Alguns estudiosos do assunto garantem que sim. Já publicamos um artigo falando da energia e intuição dos gatos, mas não mencionamos a cor da pelagem e o que isso poderia significar.

Os gatos são uma poderosa proteção para a sua casa. Por terem a glândula pineal bem desenvolvida, os gatos sentem a energia do lugar e, como não permanecem onde se sentem mal, procuram transmutar as energias negativas ou se afastam do ambiente. Isso não é novidade porque nós, humanos, também temos essa capacidade e a experimentamos com frequência. Quem nunca se sentiu incomodado em determinado lugar ou na presença de alguém, ficando ansioso para se afastar?

O gato é antidepressivo, calmante e analgésico. E lá vamos nós entrando pelo campo do misticismo. Mas, como costumam dizer, “não acredito em bruxas, mas elas existem”.

A cor da pelagem do gato e seu significado

 

Cor da pelagem do gato e seu significado

Gatos negros protegem a casa. Vale a pena ter um, assim como ter também uma turmalina negra. Absorvem e transmutam as energias negativas.

Gatos brancos reduzem o stress e têm o poder de curar muitas doenças.

Gatos amarelos possuem a energia yang e atraem abundância. Pelo menos, tendo Leléu em minha companhia, nunca me faltou nada, apesar da minguada aposentadoria do INSS.

Gatos cinzas são lindos e atraem amor e harmonia.

Gatos listrados trazem boa sorte e felicidade.

Gatos siameses representam êxito, saúde e longevidade.

Gatos de três cores, que geralmente são fêmeas, fortalecem a família.

Gatos de duas cores como branco e preto, amarelo e branco, e outras combinações, compartilham a sabedoria. Lili adorava ficar junto ao computador enquanto eu trabalhava. Estaria intuindo os textos que escrevia? Não duvido!

Quando o gato se esfrega em alguém, está querendo dividir a energia acumulada. Aproveite o momento e a dádiva recebida.

Se você tem um gato, compartilhe a sua opinião nos comentários. Se não tem, compartilhe também.

 

Pescoço de Frango é Bom Pra Cachorro


Há quem adore uma canja de galinha feita com pescoço de frango. Afirmam que pescoço de frango é bom pra cachorro. De fato, meus cachorros experimentaram e adoraram.

Onde moro não há grande variedade de alimentos no mercadinho e esta foi a primeira vez, em muitos anos, que encontrei pescoço de frango para vender. Não perdi a oportunidade e comprei cinco quilos. Destes, aproveitei pouco mais de um quilo. O resto era pele e gordura. Mas, tudo bem, espírito esportivo. Afinal, o quilo do pescoço de frango estava custando menos de três reais.

Como preparar o pescoço de frango

bom pra cachorro

Servir cru ou cozido? Consultei o Dr. Google. Sirva cru, recomendavam os sites consultados. O osso, quando cozido, tem suas propriedades alteradas, torna-se duro e quebradiço, podendo causar danos ao intestino do animal. Recomenda o site Cachorro Verde, uma de minhas principais referências em alimentação canina:

Meaty bones, ou ossos carnudos (peças contendo ossos), devem sempre ser oferecidos crus. Cozidos eles se tornam perigosos – podem causar perfurações no estômago ou no intestino.”

E o risco de contaminação por bactérias? O que dizer da Salmonela?

A salmonela é uma bactéria encontrada em animais, principalmente aves, como a galinha. Por isso prefiro não servir alimentos crus aos meus bichinhos. Quanto aos ossos, o pescoço de frango possui cartilagens, não tem ossos longos e pontiagudos, que podem perfurar o intestino.

Afinal, cru ou cozido, pescoço de frango é bom pra cachorro

De fato, o pescoço de frango é saboroso e pode ser oferecido a cães e gatos. No primeiro dia ofereci o pescoço de frango cru. Depois de limpo, cortei em três pedaços e fui servindo como petiscos a Nick e Mel. O gato Leléu não se interessou. Nick, o Pincher, mesmo com um tumor na boca, devorou o alimento e ficou satisfeito. Mel, uma cadelinha elegante, comeu uma quantidade menor. Como sempre estranhou a novidade, talvez por ser uma carne gordurosa, e no dia seguinte vomitou um pouco (somente líquido).

pescoço de frango bom pra cachorro

Cozinhei o resto dos pescoços na panela de pressão por vinte minutos. Novamente cortei em três pedaços e servi. Percebi que a carne ficou mais apetitosa e não notei diferença na textura das cartilagens. Os cães mastigaram e engoliram sem demonstrar qualquer dificuldade. Em seguida, foram dormir.

Conclusão:

Continuarei servindo pescoço de frango aos meus bichinhos. Eles gostaram e me disseram, em sua linguagem inconfundível, que pescoço de frango é bom pra cachorro. Os cachorros de rua, habituados a passar por aqui em busca de alimento, também receberam o mimo e saíram felizes. Servirei os pescoços de frango cozidos por 20 minutos em panela de pressão. Fica bom pra cachorro, como afirmei no início.

O que deu certo para mim não garante que vá dar certo para quem chegou aqui procurando uma informação. Não há unanimidade no assunto. Experimente, cru ou cozido, e deixe seu comentário. Peço apenas que sempre supervisione o momento da alimentação. Se houver engasgos, haverá tempo para agir.

Outro detalhe importante: não sirva pescoço de frango em grande quantidade e diariamente. Esse tipo de alimento deve ser oferecido eventualmente, uma ou duas vezes por mês, em pequenas quantidades. A alimentação básica deve continuar sendo a ração. Atualmente meus cachorros se alimentam de ração seca Fino Trato, Super Premium, e sachês da Pedigree para se alegrarem. Complemento, porque eles se habituaram com comida caseira, com uma carne bem inofensiva, sem gordura, como moela de frango. O peito de frango não anda bom (perceberam?) e estou dando um tempo.

 

Gato Preto dá Azar e Outros Mitos


Gato preto dá azar? Gatos têm sete vidas? Gatos têm medo de cachorros? Gatos não gostam de água? Gatos são interesseiros e traiçoeiros?

Parece brincadeira, mas muita gente teria dúvidas ao responder essas perguntas ou responderiam de forma errada, de maneira preconceituosa.

Na Índia, por exemplo, o gato a ser evitado é o branco. Quem assistiu “Caminho das Índias”, novela de Gloria Perez em 2009, sabe do que estamos falando. Manu Meetha, personagem vivido por Osmar Prado, não saía de casa se, ao abrir a porta, encontrasse um gato branco. Esperava algum tempo até o bichano desaparecer para então sair.

Gato preto dá azar?

gato preto dá azar

E por que, no Ocidente, existe esse preconceito com o gato preto? Muitas ideias erradas têm origem na Idade Média, a Idade das Trevas, por motivos religiosos, quando o poder maior era da Igreja. Pensou diferente, era considerado bruxo e queimado na fogueira. Os gatos pretos simbolizavam forças do mal. Até hoje algumas religiões usam gatos, principalmente os pretos, em seus sacrifícios. Por isso devemos proteger nossos bichanos, principalmente nas sextas-feiras e, pior ainda, nas sextas-feiras 13.

Muito poderia ser dito para responder se gato preto dá azar, mas acho que nem precisa. Afinal, estamos no século 21, embora não pareça.

Sobre as sete vidas do gato, ter ou não ter medo de cachorros, não gostar de água, ser interesseiros e traiçoeiros, são mitos com que convivemos e até assimilamos em nossa cultura. Os gatos sabem que, para sobreviver nesse mundo hostil, precisam ser reservados e desconfiados. Quem convive com um gato sabe como são maravilhosos. Conviver com gatos não é como conviver com cachorros. Gatos são independentes, embora sejam amorosos como qualquer animal tratado com respeito e amor. Gato é gato. Cachorro é cachorro.

Este vídeo vai esclarecer os mitos mencionados acima. Alexandre Rossi, o Dr. Pet, e Estopinha apresentam cinco mitos que insistem em espalhar sobre os nossos queridos amigos, os gatos. O primeiro mito responde à pergunta: Gato preto dá azar?

Moela de Frango – Alimento Rico e Barato


Se você procura um alimento rico e barato para seus bichinhos (cães e gatos), a moela de frango é a solução. Meus cachorros e gatos estão acostumados a uma alimentação variada, recebendo um complemento alimentar (comida caseira) além da ração seca. Após muitas experiências, todas elas muito caras, experimentei a moela de frango. Os cachorros adoraram e o gato também.

Nick, o pinscher, prefere comer moela crua e o gato o acompanha. Tenho evitado oferecer moela crua pois, embora sendo produto congelado a menos 18 graus e considerado descontaminado, ainda assim há o risco da existência de vermes e bactérias. A Mel prefere moela após o cozimento. Atendo a todos e gasto menos de cinco reais por dia.

moela alimento rico e barato

A moela de frango é considerada um alimento rico e barato. Afinal, gastar menos de cinco reais para alimentar bem toda a família, é um excelente custo-benefício. A moela é excelente alternativa para tempos de crise econômica e para tempos de abundância também.

Alimento rico e barato

Para quem não sabe, a moela faz parte do sistema digestivo das aves e realiza a digestão mecânica dos alimentos. Rica em proteínas, é fonte de suprimento de vitamina A, C, B6, B12, Cálcio, Magnésio e Ferro. Cem gramas fornecem cerca de 100 calorias, além de ser pobre em gorduras. Pode ser oferecida aos bichinhos, sem risco para a saúde. Costumo servir na primeira refeição. Geralmente misturo um pouco de ração seca, que acaba sendo ingerida.

Outras informações nutricionais por cem gramas: Carboidratos 0 g,  Proteínas 30,38 g, Gorduras totais 2,68 g, Gorduras saturadas 0,67 g, Fibra alimentar 0 g e Sódio 56 mg.

Não sirvo moela de frango aos meus bichinhos todos os dias. Explico: a moela é alimento proibido para seres humanos que sofrem de GOTA pois aumenta os níveis de ácido úrico no sangue. O mesmo se aplica para fígado e coração. Não sei como reagem os animais, mas prefiro considerar os mesmos efeitos. Tudo faz bem, ou nada faz mal, desde que sem exageros.

Ração seca Super Premium e sachês complementam a alimentação diária.

moela de frango alimento rico e barato

Costumo aproveitar as promoções e compro uma quantidade suficiente para um bom tempo. Por menos de trinta e cinco reais não me preocupo com alimentação neste período. Nos dias em que sirvo moela, preparo um pacote que, após descongelar, corto em pedacinhos e levo ao fogo com água, fervendo por dez minutos.

Alguns cuidados

É importante não se empolgar e servir grandes quantidades de alimento. Respeite o tamanho do seu animalzinho.

Uma dieta composta de metade ração e metade comida caseira pode até trazer sua cota de benefícios aos cães, mas é preciso saber muito bem que alimentos adicionar à ração e em que quantidade ou corre-se o risco de desequilibrar seriamente a fórmula da ração e acabar prejudicando o pet. São conselhos da Dra. Sylvia Angélico do site Cachorro Verde. Então, converse com o veterinário antes de fazer qualquer mudança na alimentação dos bichinhos.

A moela de frango não é dos meus alimentos favoritos, mas tenho amigos que adoram. A internet está cheia de estudos sobre suas propriedades e de receitas fantásticas.

E você, gosta de moela?

Quem tem Medo de Lagartixa?


Você tem medo de lagartixa? Muita gente vai responder que não tem medo de lagartixa, mas sente uma certa repugnância. A lagartixa que vemos em nossa casa, a lagartixa-doméstica-tropical (Hemidactylus mabouia), é um réptil, parente dos dinossauros, assim como lagartos, jacarés, cobras, tartarugas, crocodilos e tantos outros animais tão diferentes entre si.

Os répteis são classificados em Quelônios (tartarugas), Squamata (ofídios e lacertílios) e crocodilianos. A lagartixa está no grupo dos lacertílios, assim como lagartos, iguanas, calangos, e camaleões. Talvez o medo das lagartixas tenha origem no grupo a que pertencem, Squamata, que incluem as cobras. Além disso, nossas mães e avós incutiam ideias assustadoras sobre o pobre animalzinho. O fato é que as lagartixas não são venenosas, mas devemos ter cuidados de higiene ao tocá-las, pois se alimentam de baratas, aranhas, mosquitos e andam por lugares não muito limpos. Além disso, carregam parasitas que podem contaminar animais domésticos.

Lagartixa morde?

quem tem medo de lagartixa

Para quem pergunta se lagartixa morde, a resposta é sim. Claro que morde, mas não morde seres humanos. Ela se alimenta pela boca e é uma caçadora muito ágil. Adora caçar mosquitos, moscas, baratas, aranhas, pequenos escorpiões e insetos em geral. São notívagas e andam pelas paredes e tetos com muita facilidade. Raramente caem, mas de vez em quando isso pode acontecer. Ao contrário do que muita gente pensa, lagartixas não têm ventosas  mas uma série de cílios que as mantêm nas posições consideradas impossíveis.

Medo de lagartixa

A lagartixa evita o contato com seres humanos e fará tudo para desaparecer da sua vista. Se você encontrar uma lagartixa dentro de casa, deixe-a em paz. Não a espante ou mate. Ela está ajudando a manter sua casa livre de animais perigosos e nocivos. A lagartixa é sua aliada nesta luta. Sua perspicácia fará com que ela permaneça imóvel enquanto você olha para ela. Basta um descuido, uma piscadela mais longa, e ela desaparece como em um passe de mágica. Ela também sente medo, medo dos seres humanos.

Lagartixas e gatos

Os gatos, exímios caçadores, divertem-se tentando alcançar as lagartixas nas paredes e muitas vezes conseguem. Brincam com ela, que logo perdem a cauda, e acabam por matá-las e comer parte do seu corpo. O perigo está aí, pois os gatos podem ser contaminados por um parasita que se aloja em suas vísceras e contrair lesões na vesícula, pâncreas, intestino e pulmões. A doença é tratada com vermífugos e antibióticos, após consultar o veterinário. Gatos que vivem livres têm maior possibilidade de contaminação.

Assim é a lagartixa, companhia frequente nas noites de verão, perto de lâmpadas e onde houver alimento.

Xixi no Lugar Certo para Cães e Gatos


Tive muitos cachorros e todos eles aprenderam desde pequenos a fazer xixi no lugar certo. Não apenas xixi, mas também cocô. Foi muito fácil ensinar, sem necessidade de premiar os acertos e castigar os erros. Foi preciso apenas respeitar suas preferências e não querer impor nossa vontade.

Para que seu cachorro faça xixi no lugar certo, precisamos entender o que é lugar certo. O que é certo? O que é errado? Errado é fazer xixi e cocô em qualquer lugar da casa, sem um lugar definido. O certo é usar o banheirinho deles, tal como fazem os humanos.

O lugar escolhido não deve ficar próximo ao local onde dormem ou se alimentam, mas não muito distante. Um ambiente próximo seria o ideal. Na minha casa, Nick e Mel usam um cômodo separado para fazer suas necessidades, comem na cozinha e dormem no meu quarto. Tudo separado. Eles só usam o tapete higiênico, sempre disponível e forrado com jornais, quando estão trancados em casa, o que acontece durante a noite ou quando saio. Em geral preferem utilizar o quintal para fazer o número 1 e o número 2, como alguns preferem chamar.

Não há idade para aprender a fazer xixi no lugar certo

Xixi no lugar certo

Foi fácil ensinar aos dois a fazer xixi no lugar certo. Isso se ensina desde pequeno, mas nada impede que animais adultos também aprendam. Cachorros são muito inteligentes, bem mais do que muitos imaginam. Quando seu cãozinho fizer xixi no lugar errado, não bata, não brigue, não fale alto, não demonstre irritação. Limpe o local com uma folha de jornal, sem amassar, e a coloque no lugar escolhido para os futuros xixis e cocôs. Servirá como isca. Leve-o até o local e converse com ele, mostrando que ali é o lugar certo. Confie no poder da comunicação que existe entre vocês. Ele entenderá e vai agradecer. Da próxima vez que sentir vontade, seguirá o olfato. É muito provável que já faça cocô ou xixi no lugar certo.

Xixi no lugar certo

Ensinar gatos é mais fácil. Seus hábitos incluem fazer as necessidades na areia e depois cobrir. Então, morando em apartamento, basta manter uma caixa com areia sempre limpa. A areia é especial, um derivado da argila, e deve ser trocada após algum tempo de uso. Mesmo morando em casa com quintal, habitue-se a manter a caixa com areia dentro de casa. Gatos castrados passam a noite com você, o que é muito bom. Isso evita brigas, doenças e envenenamentos, prolongando a vida do gatinho. Dizem que gatos que vivem soltos não vivem mais do que três anos em média.  Tendo conforto, comida, carinho, serviço de hotel cinco estrelas, precisa ir à rua? Eles vão acabar entendendo. Leléu, que era rueiro, já passa a maior parte do tempo dentro de casa. O fato de se alimentar várias vezes ao dia facilita bastante a tarefa de mantê-lo nos limites do nosso quintal.

Diferenças Entre Rações de Cães e Gatos


Por que as rações de cães e gatos são diferentes? Faz mal dar ração de cão para o gato e ração de gato para o cão? Muita gente faz essas perguntas e a resposta é simples: as rações de cães e gatos são diferentes porque cães e gatos são diferentes, têm anatomia e necessidades diferentes. Você já reparou que gatos comem um pouco de cada vez, várias vezes ao dia? Os cachorros comem maior quantidade de ração a cada refeição e devem ser alimentados apenas duas vezes ao dia, ou três vezes no caso de filhotes até seis meses. Por que isso?

Diferenças entre rações de cães e gatos

Anatomia

O intestino delgado do cão, que é o local onde se faz a digestão do alimento, tem cerca de 4 metros, talvez um pouco menos. Já o intestino delgado dos gatos tem cerca de 2 metros, a metade do tamanho do intestino delgado dos cães. Essa característica faz com que a digestão completa no cão, que é um animal onívoro, demore 48 horas. O alimento que entra pela boca sai como fezes, depois de processado pelo organismo, após 48 horas. Os gatos, animais carnívoros, precisam de mais proteínas para se alimentar satisfatoriamente e digerem completamente o alimento em 36 horas.

Nutrientes das rações de cães e gatos

Os nutrientes da ração de gato são mais concentrados do que os nutrientes da ração do cão. Como a digestão do gato é mais rápida, a ração do gato precisa ter uma maior concentração de nutrientes para que este consiga absorvê-los em menos tempo. Uma troca eventual das rações não vai causar problemas sérios, não fará mal, além daqueles já conhecidos quando se troca de ração. Meu gato adora a comida dos cachorros e os cachorros também adoram a ração do gato. Mas, um cão não pode ser alimentado sempre com ração de gato e o gato não pode ser alimentado sempre com ração de cão.

O cão é um animal onívoro, se alimenta de tudo. Já o gato, sendo um animal carnívoro, se alimenta basicamente de carne, precisando de uma ração com muito mais proteína. Essa proteína vai modificar o PH da urina, que vai influir na saúde dos rins e bexiga. A formação ou não de pedras nos rins e bexiga depende do PH adequado.

diferença entre rações de cães e gatos

Taurina – aminoácido fundamental

Para não ser destruída, a taurina é colocada na ração seca no final do processo de fabricação, após o cozimento. Embora seja importante na alimentação dos cães, a taurina é essencial na alimentação dos gatos. Sua falta pode causar cegueira nos felinos. Além da ração seca de boa qualidade, sempre ofereço, principalmente à noite, um sachê de Whiskas para meu gato Leléu. A taurina está presente na composição do produto.

Comparando as rações de cães e gatos

Comparei os níveis de proteína bruta e extrato etéreo das duas rações que costumo utilizar. Os cães se alimentam de Fino Trato, uma ração Super Premium. O gato Leléu está mudando para Tutano, classificada pelo fabricante como Premium Plus, sabor salmão.

Como era esperado, a ração dos cachorros tem 25% de proteínas enquanto a do gato tem 36%. O nível de gordura é maior na ração dos cachorros (16%). A ração do gato não passa de 10% de extrato etéreo.

Não encontrei taurina na ração dos cachorros, mas a dos gatos tem um mínimo de 0,15%.

Níveis de garantia – Ração Tutano para gatos

Diferenças entre rações de cães e gatos

Níveis de garantia – Ração Fino Trato para cães

Diferenças entre rações de cães e gatos

 

Ficou satisfeito com o conteúdo desta matéria? Foi útil para você?

Deixe seu comentário. Sua opinião nos ajudará a melhorar sempre mais.

Obrigado.