BULLDOG FRANCÊS Dócil e Brincalhão – Prós e Contras da Raça


O Bulldog Francês é um cãozinho dócil e brincalhão. Apesar do pequeno tamanho, chega a pesar 15 quilos. Um tourinho em miniatura, ou um tanquinho, como dizem alguns carinhosamente. Mesmo pesado e tendo pernas curtas, o Bulldog Francês é um cão muito ágil, adora brincar e correr pela grama com as crianças.

Ficou interessado? Antes de decidir, vamos conhecer as características principais da raça.

Dócil e Brincalhão

O Bulldog Francês tem origem no Bulldog Inglês e cruzamentos entre Terries e Pugs. A raça se desenvolveu na França e chegou ao Brasil por volta de 1980, ganhando popularidade rapidamente. Cão de pelagem curta, de fácil manejo, amigo das crianças, dócil e brincalhão, adapta-se bem em casas e apartamentos. Você não correrá perigo de perdê-lo, pois ele sempre será a sua sombra. O risco é tê-lo roubado, pois é uma das raças preferidas pelos ladrões.

As cores variam entre branco, branco com fumo, tigrado, branco com tigrado, creme, marrom e avermelhado.

A raça tem poucos problemas de saúde. A pele merece atenção especial, por causa das dobras.

A ninhada pode variar de um a sete em média, mas esse número está sendo ultrapassado com frequência. O cruzamento é difícil, o pós-parto precisa ser acompanhado com atenção e o parto é, quase sempre, cesáreo. O diâmetro do crânio dificulta o parto normal.

Prós e Contras da raça Bulldog Francês

Vantagens

A raça é calma e se adapta bem na casa de quem trabalha fora, inclusive em apartamentos pequenos.

São cães de companhia. São extremamente dóceis. Acompanham o dono como uma sombra e se adaptam à vida do dono.

Latem muito pouco.

A raça ajuda a socializar o dono. Os solteiros (homens e mulheres) adoram.

Desvantagens

São caros, custam em média entre três e cinco mil reais.

Dificuldade para respirar por causa do focinho achatado. Passeios no verão, em temperaturas elevadas, são proibidos.

Problemas de pele por causa de dobras na pele com proliferação de fungos.

Roncam alto e soltam puns bastante fedidos.

Comprando um Bulldog Francês

Você dificilmente encontrará um Bulldog Francês sendo doado. A raça é cara. Os canis responsáveis têm despesas extras, principalmente na hora do parto cesáreo. Meu amigo, Dr. Fábio Caputo do Grupo AnimalVet, tem passado muitas noites trazendo bulldoguinhos ao mundo. É o veterinário que assiste meus bichinhos. Foi colega da minha filha no ginásio e sinto satisfação em ter testemunhado seu crescimento profissional desde o início.

Sua equipe é grande. Vou citar alguns integrantes, em parto recente:

Anestesista: Dra Suelen de Paula
Auxiliares: Dr Pedro Alberto Cabral e Juliana Xavier

Bulldog Francês - Dócil e Brincalhão - Prós e Contras

Bulldog Francês - Dócil e Brincalhão - Prós e Contras

 

Qualidades e Defeitos do PUG – Vale a Pena Ter um PUG?


Após ler muitos artigos falando do PUG, fiquei em dúvida se valeria a pena ou não comprar um cãozinho dessa raça. Comprar, sim. Cães da raça PUG não são doados, pois têm alto valor de mercado, custam caro, assim como os da raça Shih Tzu, Lulu da Pomerânia, Yorkshire Terrier, Lhasa Apso, falando apenas das raças pequenas. Foi então que me veio a ideia de pesquisar as principais qualidades e defeitos do Pug. Isso ajudaria, não só a mim, mas a quem também estivesse com dúvidas na hora de escolher um cachorrinho de estimação.

Características do PUG

A raça é originária da China. Os machos têm, em média, 30 cm de altura e as fêmeas 25. Não é considerada uma raça excepcionalmente inteligente. Tudo que escrever sobre as características técnicas do Pug será insuficiente para igualar ou superar o que o site Tudo Sobre Cachorros, da Halina Medina, já publicou sobre a raça. Recomendo a leitura a quem quiser saber tudo sobre o PUG.

Muitos confundem o Buldogue Francês com o Pug, mas são bem diferentes, a começar pelo tamanho e origem. O buldogue francês é originário da França, como o nome indica. Já o PUG, tem origem na China. As orelhas do PUG são caídas, as do Buldogue Francês são levantadas.

Qualidades e Defeitos do PUG

Qualidades e defeitos do Pug. Vale a pena ter um Pug? Esta é Valentina.

Ter um cachorro com alto valor no mercado é sempre um motivo de preocupação. Pug e Shih Tzu são as raças preferidas pelos ladrões.

Vantagens e desvantagens do PUG

Consultei vários sites especializados em cachorros e, especificamente, em PUGS. Todos eles relacionam quase as mesmas vantagens e desvantagens, as mesmas qualidades e defeitos do PUG. Quem não convive com um PUG precisa obter a informação de alguma forma. Preferimos consultar os proprietários de PUGS. Se você tem um PUG, deixe um comentário com a sua impressão. Vamos enriquecendo o artigo com a informação de quem conhece a raça melhor do que ninguém.

Enquanto isso, aqui está o que compilamos:

Desvantagens do PUG

Cães da raça Pug não toleram o calor. Há o risco de hipermermia. Tome bastante cuidado ao sair de carro com ele.

Os olhos salientes são alguns de seus pontos fracos e precisam de atenção especial. As dobras da face precisam ser limpas constantemente. Podem acumular fungos.

Apresentam, em muitos casos, pouca resistência física e problemas respiratórios.

Dormem muito, pois têm pouca energia física.

São difíceis de serem treinados, costumam demorar a aprender a fazer xixi no lugar certo.

Têm tendência a engordar e soltam muitos pelos. Precisam ser escovados com frequência.

Roncam muito. Dizem que soltam gases com mais frequência que o considerado aceitável.

A reprodução é mais complicada do que o normal. A gestação deve ser acompanhada pelo veterinário e, possivelmente, pode ser necessária realizar uma cesariana ou auxiliar no momento do parto. Isso se deve ao diâmetro do crânio.

Vantagens do PUG

PUGS são muito carinhosos e apegados ao dono, mas não são carentes.

Gostam de brincar e fazem amigos com facilidade. São sociáveis com outros cachorros, crianças, idosos e alguns estranhos.

Algumas pessoas os consideram muito inteligentes. Outros, nem tanto. Na verdade, são cães de inteligência média.

Latem pouco (talvez por cansar muito).

São limpos, silenciosos, pequenos e gostam de colo. Embora pequenos, pesam bastante. Têm tendência a engordar, pois comem mais do que gastam em atividades físicas.

Conclusão

Vale a pena ter um PUG?

As raças de cães têm suas características próprias, mas devemos levar em conta a personalidade de cada ser daquela raça. Isso pode fazer toda a diferença. A escolha daquele que será seu amigo e companheiro pelos próximos 14 ou 15 anos é muito pessoal, depende da troca de energias que se manifestará pelo olhar na hora da escolha. É amor a primeira vista, olho no olho, alma na alma.

Cachorros de raça devem ser adquiridos de criadores responsáveis, registrados. Não se arrisque comprando de quem você não conhece. O animalzinho pode ter sido roubado e, agindo assim, você estará estimulando a continuidade dessa prática criminosa. Ninguém está livre de ser a próxima vítima.

Criadores clandestinos sacrificam as matrizes obrigando a que se reproduzam até a morte. Há muitos artigos e vídeos mostrando o estado lastimável desses animais. A raça humana não tem limites quando se trata de ganhar dinheiro. Felizmente não são todos que pensam assim.

A cachorra deitada no tapete chama-se Valentina (Vavá, para os íntimos). Mora no Rio de Janeiro. Agradeço à minha amiga Ana Clara por ter atendido ao meu apelo e enviado a foto.

Se você tem um PUG, não esqueça de deixar a sua opinião nos comentários.

 

 

Cane Corso, o Cão de Guarda Italiano, é Extremamente Leal


Extremamente leal, o Cane Corso está sempre pronto para defender o dono, sua família e a casa onde vive. Apesar do seu aspecto de cão de poucos amigos, o Cane Corso é muito sociável, desde que tenha sido adestrado desde filhotinho. Neste caso, convive bem com crianças. A origem é italiana, conhecida desde o século XIII e quase foi extinta. Ganha espaço no Brasil talvez por ser um guardião nato. Mais conhecido na Europa, de onde é originário, fazia a guarda das grandes fazendas, participando da caça de animais de grande porte, como búfalos e javalis. No Brasil, onde é conhecido há pouco mais de 20 anos, há quem tenha o cão principalmente como proteção individual, levando-o no carro e em passeios a pé pelas avenidas da cidade. Não se surpreenda se encontrá-lo caminhando pela Avenida Paulista ou correndo pelo Parque Ibirapuera, dando a volta na Pampulha ou se exercitando no Aterro do Flamengo.

Algumas características do Cane Corso

Cane Corso

O Cane Corso é um cachorro robusto, de porte médio a grande, musculoso. Chega a pesar 50 ou mais quilos. Tem 64 a 68 cm de altura. Precisa de um tutor de personalidade, um verdadeiro líder, a quem ele possa obedecer e sentir orgulho. Gosta de atenção, consideração e respeito. Quem não gosta?

Um cão muito ligado ao proprietário. Impõe respeito pelo porte mas respeita os visitantes que chegam na propriedade com seu seu dono. Que ninguém, no entanto, tente entrar sem ser convidado. O Cane Corso não é de muita conversa nem aceita suborno.

O Cane Corso se alimenta de 500 a 600 gramas de ração por dia. A ninhada normal é de 8 a 10 filhotes em média. Vive em média 10 anos. Pouco, né?

Não é um cão para viver em apartamento. Precisa de espaço para se exercitar. Em apartamento ficaria extremamente estressado, mesmo com passeios frequentes pela redondeza. Gosta de correr, embora não seja muito ágil, devido ao seu tamanho e peso.

Todos aqueles que têm um Cane Corso declaram-se bastante satisfeitos e não pretendem ter cão de outra raça no futuro.

STAFF BULL TERRIER Gosta de Paz e Amor


O que o pequeno YORKSHIRE tem em comum com o gigante PITBULL? Ambos pertencem ao grupo dos TERRIERS, que significa TERRA em latim. Os cães deste grupo são caçadores por natureza e têm bastante energia. Os mais fortes foram criados para caçar grandes animais, como ursos e touros. Mais tarde passaram a ser usados para lutar entre si. Felizmente essa prática bárbara foi proibida e acabou. Criados para lutar entre si foram o AMERICAN PIT BULL TERRIER e o  STAFFORDSHIRE BULL TERRIER, ou simplesmente STAFF BULL TERRIER.

A raça impõe respeito a quem não está familiarizado com suas características e personalidade. O STAFF BULL TERRIER, como também é conhecido,  é manso e sociável. Embora não seja sociável com outros cães, é muito amigo das crianças.

Raça de origem inglês teve origem no cruzamento dos antigos Bulldogs com Terriers. É pouco conhecida no Brasil, mas é a sétima raça mais popular no Reino Unido.

Conhecendo melhor o STAFF BULL TERRIER

STAFF BULL TERRIER

As semelhanças de comportamento entre o Pitbull e o Staff Bull Terrier só deve ser considerada se olharmos para cães com pedigree, que atendam aos padrões de cada raça.  Neste caso, quando adestrados desde cedo, tanto um como o outro são cães obedientes, sociáveis e dóceis. Infelizmente, raças que assustam pelo seu porte e força física foram usadas como um complemento da personalidade doentia do proprietário. Cruzamentos criminosos foram feitos, principalmente com cães PitBull e o resultado é o pior possível, com cães agressivos e fora de controle.

Como todo cão, o STAFF BULL adora brincadeiras. Na Inglaterra é chamado de “Nanny Dog“, (“Cachorro Babá“) e se relaciona muito bem com crianças. Pode viver em apartamento, mas precisa de exercícios diários, principalmente caminhadas. Não se dá bem com outros animais, razão pela qual deve permanecer na coleira. É um cão pequeno, que não chega a 50 cm de altura, e pesa menos de 20 quilos.

Origem da imagem: Cães e Filhotes

DOBERMANN: Elegância e Inteligência – Cão Valente e Corajoso


Não faltam adjetivos para definir os cães da raça Dobermann. Sendo uma das raças mais inteligentes, ocupando o quinto lugar no ranking de facilidade de adestramento, o Dobermann também se mostra muito elegante. Impossível passear com ele sem despertar a atenção das pessoas. Como cão de guarda, o Dobermann é um excelente protetor da família. Sua semelhança com o pequeno Pinscher denota algum parentesco no passado.

O Dobermann é uma raça recente, criada na Alemanha no século 19. O cobrador de impostos e açougueiro Louis Dobermann precisava de um cão que o acompanhasse no trabalho e foi, de cruzamento em cruzamento, chegando a uma raça que o atendeu satisfatoriamente. Nasceu o Dobermann, um cão valente e corajoso, com muita resistência, agilidade e esperteza. Dizem que o Pastor Alemão e o Pinscher Alemão são seus ancestrais. Seu temperamento é equilibrado e determinado, fiel ao dono e família, desconfiado com estranhos. O melhor cão de guarda, garantem seus criadores. é a única raça do mundo que tem o nome do seu criador.

O Dobermann chegou ao Brasil na década de 1920, importado da Alemanha. A criação começa a tomar vulto por volta de 1950.

O Dobermann é perigoso?

Dobermann

Os criadores garantem que o Dobermann não é agressivo. O Dobermann é extremamente equilibrado. As visitas são bem recebidas no seu ambiente familiar desde que apresentadas pelo dono. Ele passa a entender que não há perigo e relaxa, interagindo com as pessoas e mostrando-se bastante simpático.

Resolvendo comprar um Dobermann conheça o criador, peça informações sobre os pais e avós, observe o ambiente onde vive, além de pedir os exames de saúde do cão e de seus pais.

Desvios de comportamento podem ocorrer quando o cruzamento acontece sem responsabilidade, não respeitando os padrões da raça. Nestes casos o cão pode se tornar bastante agressivo e perigoso. Isso acontece não apenas com o Dobermann, mas também com outras raças consideradas bravas.

Sendo um cão ativo, o Dobermann precisa de espaço para se exercitar. Gosta de longas caminhadas em área fechada e protegida, ao lado do dono. Gosta do ambiente familiar e do aconchego do lar.

Como qualquer cão, o Dobermann precisa ser socializado desde filhote, aprendendo a obedecer ao dono e respeitar os humanos e outros animais. Sendo muito inteligente não causará problemas a quem se dispuser a ensiná-lo corretamente.

Origem da imagem: topdycha.pl

PITBULL: Inocente ou Culpado?


O nome PITBULL sempre está associado a ataques violentos, agressividade, cão feroz, cachorro que não merece confiança, raça perigosa, cão de briga, cachorro assassino. Afinal, o que há de verdade nisso tudo? O Pitbull (ou Pit Bull) é inocente ou culpado?

A raça inspira medo, pois é forte, musculosa, decidida e resistente. Sua cara é de poucos amigos, até que se conheça melhor o Pitbull. Dizem que a raça não é violenta, mas sim os seus donos. Talvez um pouco dos dois.

Origem do Pitbull

O Pitbull teve origem no século 17, na Inglaterra. Mais tarde foi levado para os Estados Unidos. Seu nome era American Pit Bull Terrier.  A raça foi desenvolvida inicialmente para brigar com ursos e touros, o que explica tanta força, coragem e agressividade. Levado para os Estados Unidos, foi usado inicialmente como cão de briga, o que mais tarde se tornou proibido por lei, primeiro na Inglaterra e em seguida nos Estados Unidos. Passou, então, pelo seu porte, a ser usado como cão de guarda, embora haja outras raças mais adequadas para a função.

A agressividade do Pitbull está latente em seu DNA. Seu adestramento deve desestimular esse lado violento e, ao contrário, deve desenvolver o lado amigo, carinhoso e familiar, para torná-lo sociável e obediente aos seus donos. Dizem que os cachorros são um espelho do ambiente em que vivem. E isso é verdade reconhecida por todos aqueles que convivem com animais.

Pitbull inocente ou culpado?

Comportamento do Pitbull

Pelo temperamento do cão Terrier, o Pitbull geralmente é dócil com o ser humano e agressivo com outro cão. Aos poucos isso vai sendo amenizado, mas nunca será totalmente modificado.

Características físicas do Pitbull

De focinho largo e curto, o Pitbull tem a mordida mais potente de todas as raças de cães. Patas traseiras muito fortes, peito largo e musculoso. Chocolate, branco e caramelo são as principais cores da raça. O Pitbull é hiperativo e precisa de espaço para se exercitar, para gastar tanta energia. Raça rústica, de fácil manejo, não precisa de muitos banhos, sendo aconselhável um ou dois por mês. Pesa entre 30 e 50 quilos e mede de 35 a 50 cm na cernelha.

Criação responsável da raça Pitbull

O modismo incentivou a venda de cães sem procedência, sem pedigree, com temperamento fora de controle, fora dos padrões da raça, com sérios desvios de comportamento. Isso gerou muitos problemas e criou uma imagem muito negativa para o Pitbull. Na verdade, a agressividade é estimulada pela forma com que o cão é tratado, pelo ambiente em que vive, independente da raça. A mordida de um cão pequeno causa poucos estragos, enquanto que a mordida de um Pitbull, pela sua força e tamanho, pode causar a morte. Daí a fama de cachorro violento que o Pitbull conquistou.

Particularmente, respeitando a opinião de cada um, não seria uma raça que gostaria de ter na minha casa, principalmente por ter outros animais, cães e gatos, vivendo em completa harmonia.

E você, teria um Pitbull em sua casa?

DÁLMATA, Boa Companhia para Maratonistas


Se você gosta de correr a Maratona e precisa de uma companhia para acompanhá-lo nos treinos, o Dálmata é o companheiro ideal. Gostando muito de correr e precisando de exercícios diários, o Dálmata é boa companhia para maratonistas.

Assim como o Dogue Alemão, o Dálmata também gosta de uma cama macia no aconchego do lar. Adora a família, é companheiro, e muito apegado ao dono, o que o torna um excelente cão de guarda.

As manchas pequenas e redondas constituem seu traço característico mais marcante. Seu pelo branco parece estar coberto por moedinhas. A raça é muito antiga e talvez tenha surgido no Egito Antigo, por causa de desenhos encontrados nas tumbas dos faraós. Outros pesquisadores consideram a origem na Iugoslávia. Seu nome vem da Dalmácia, uma região da Croácia. O Dálmata foi escolhido como acompanhante dos nobres na época das carruagens. Também foi adotado como mascote dos bombeiros americanos e europeus. Em 1971 fez sucesso no cinema, com o filme 101 Dálmatas.  O sucesso do desenho animado fez com que o Dálmata se tornasse conhecido no mundo inteiro.

Dalmata no desenho 101 dalmatas

Características comportamentais do Dálmata

Dócil, leal ao dono, carinhoso, muito ativo, bom relacionamento com crianças e outros animais, late pouco, são características comportamentais do Dálmata.

Características físicas do Dálmata

O Dálmata pesa entre 27 e 32 quilos (macho) e 24 e 29 (fêmea). O principal problema da raça é a surdez. Cuidado ao comprar filhotes de Dálmatas pois a doença é mais comum do que parece. É muito difícil adestrar um cão surdo, razão pela qual não é recomendado tê-lo em ambiente familiar, principalmente onde há crianças.

O Dálmata precisa de uma ração Super Premium, evitando dar mais alimento do que o Dálmata necessita, para evitar sobrepeso.

A educação deve ser rígida, mas carinhosa, pois os cães desta raça são muito levados. Precisam ser bem educados desde cedo, como qualquer criança levada.

BOXER, Robusto e Fiel ao Dono


Cão de porte médio, pelo curto, de origem alemã, o BOXER, é um cão muito robusto e fiel ao dono. Excelente cão de guarda, é uma das melhores raças para a proteção da casa e moradores. Tornou-se popular após a metade do século passado. Com a família é inofensivo, tem temperamento sereno e é excelente companhia para as crianças.

A origem do Boxer

O Boxer atual é fruto do cruzamento do Mastif com Buldog Inglês. O Mastiff é muito vigoroso e o Buldog Inglês muito corajoso. Desta mistura nasceu o Boxer. Em torno de 1930 apareceu no Brasil e a raça se tornou popular. Dizem que no passado o Boxer teve origem em duas raças já extintas, o Danzinger Bullenbeisser, cachorro de grande porte, e o pequeno Brabenter Bullenbeisser.

Boxer, robusto e fiel ao dono

Um cão leal, de bom caráter, é excelente cão de companhia, muito inteligente e fácil de adestrar. A paixão pelos donos é ponto forte e caracteriza a raça. Mede aproximadamente 70 cm. A cor é dourada ou tigrada, com até 30% de parte branca. Pesa em torno de 30 quilos. Antigamente havia o corte do rabo e da orelha, mas isso felizmente acabou.

Pelo seu porte, disposição e energia, não é cão para viver confinado em apartamentos, embora não se importe em viver dentro de casa. O ideal é ter uma casa com quintal, um gramado para correr e crianças para brincar, alternando as brincadeiras no quintal com o aconchego da casa. Neste ambiente, com a família reunida, ele se sente feliz.

O Boxer vive pouco, no máximo dez anos. Raros ultrapassam esse limite, o que é uma tristeza muito grande para seus donos, que se apaixonam pelos filhos adotivos.

Origem da foto: Ospaparazzi

CHOW CHOW é Manso ou Agressivo?


Um domingo desses a TV exibiu um programa onde aparecia um cão da raça Chow Chow extremamente agressivo. Seus donos apresentavam ferimentos graves nos braços e rosto, tendo sido hospitalizados algumas vezes precisando receber pontos e antibióticos. Mesmo assim, não desistiram do animal e após muitas semanas de tentativas, com muita paciência, atenção e amor, conseguiram mudar o comportamento do animal. Não sei se teria a mesma disposição, embora já tenha vivido situação parecida há muitos anos, quando tínhamos um pequinês.  Afinal, o Chow Chow é manso ou agressivo?

Características do Chow Chow

Os cães da raça Chow Chow (Songshi Quan), originários da Mongólia, são independentes e dispensam companhia constante. Seus donos podem passar o dia fora que eles não se incomodam. Isso é bom? Talvez denote falta de amor, mas pode ser uma defesa registrada em seu DNA. Cães dessa raça eram usados para caça, guarda e puxar trenó, tendo servido de alimento por terem a carne macia. Sabe-se lá o que já vivenciaram. Mesmo assim, os cães precisam respeitar o chefe da matilha, no caso os seus donos. Isso é muito difícil com o Chow Chow, que não reconhece a autoridade do dono. Independência ou desvio de conduta?

Não é das raças mais inteligentes. O Chow Chow é difícil de ser adestrado. Tem uma das mordidas mais fortes, só perdendo para o Pit Bull.

Necessita de passeios e exercícios, mas moderadamente, sem exageros.

Tolera bem o frio por causa da sua pelagem, mas sofre com o calor. Para o clima brasileiro não é uma das raças mais apropriadas.

Por causa do seu pelo deve ser tosado e tomar banho uma vez por mês.

Altura: Fêmea: 46–51 cm, Macho: 48–56 cm
Peso: Fêmea: 20–27 kg, Macho: 25–32 kg

 

Chow Chow no programa da Eliane

Pelo que tenho pesquisado na internet, não encontrei muitos elogios e recomendações a esta raça, razão pela qual prefiro não ter uma opinião final. Existem algumas linhagens de Chow Chow bem agressivas e a raça é temida por muitos veterinários, que preferem atender o cachorro somente com o uso de focinheira.

Gostaria de conhecer a opinião dos leitores para saber qual o padrão da raça Chow Chow, se a agressividade a que todos assistimos na TV foi um caso raro ou se é frequente de acontecer.

Para quem não assistiu, aqui está o programa completo.

Chow Chow agressivo com o Dr. Pet

SHAR PEI tem Rugas e Língua Azulada


O Shar Pei teve origem na China, onde era usado para a caça. A raça já foi considerada a mais rara do mundo, correndo até o risco de extinção. Isso aconteceu por volta de 1970, quando os cães eram usados como alimento na China (e ainda são). Cães eram usados com essa finalidade e as raças consideradas “de luxo” exigiam o pagamento de muitos impostos de quem se dispusesse a mantê-los. Felizmente o risco acabou, graças aos criadores europeus e norte-americanos que se encarregaram de salvar e espalhar o simpático cãozinho pelo mundo afora.

Características do Shar Pei

Shar Pei

As rugas chamam a atenção e torna os cães da raça Shar Pei únicos e inconfundíveis. A língua é escura, azulada, como a do Chow Chow. São cães dóceis, leais e bons para a guarda.

Shar Pei significa pele de areia ou pelo duro cor de areia. Dizem que nas brigas com outro cão costumava se enrolar na areia para causar um certo desconforto e dificultar a pegada, mas isso parece uma fantasia, a menos que os cães não fizessem outra coisa a não ser brigar. A cor do pelo deve ter dado origem ao nome da raça.

As rugas do Shar Pei são verticais. Mede de 40 a 50 cm e pesa de 16 a 25 quilos. Não é um animal fácil de lidar e deve ser adestrado com firmeza e  desde cedo, para que seja obediente e se acostume com seres humanos.

O Shar Pei não é muito brincalhão, talvez por ser tímido, mas é amigável com outros animais de estimação. Muito protetor, é um bom cão de guarda e tolera razoavelmente frio e calor. Vive relativamente pouco, entre 8 e 10 anos.

Quem tem um Shar Pei sempre quer ter outro, mais outro e mais outro. Eles são cativantes, dizem seus donos. Impossível não amá-los.

Origem da foto: Hospedagem cães