Por que pagamos tudo tão caro?


Todos sabem que o salário do brasileiro é um dos mais baixos do mundo. O desemprego atinge níveis nunca vistos. Os impostos já ultrapassaram o ponto mais alto da Curva de Laffer, explicando a redução no consumo das famílias e consequente arrecadação de impostos. Mesmo assim, contra todas as evidências, os preços dos nossos produtos são muito caros. Os fabricantes se aproveitam da falta de concorrência efetiva, além da nossa ignorância sobre o que acontece no resto do mundo e lucram cada vez mais.

Minha filha esteve nos Estados Unidos e, sabendo que sou grande consumidor das latinhas de ração úmida da Pedigree, tirou uma foto do que encontrou na gôndola do supermercado.

por que pagamos caro

Por que custa tão caro no Brasil?

Além da enorme diferença no preço, há também a diferença no peso. A latinha com 280 gramas no Brasil custa cerca de R$ 6,00. Em New York uma lata com 375 gramas custa míseros US$ 0.84 (menos de 3 reais). Se a renda do americano fosse igual à renda do brasileiro, já seria uma diferença gritante (tanto no preço quanto no peso). Mas sabemos que não é bem assim. O que seriam 3 reais para nós, fazendo o câmbio entre dólar e real, não passam de alguns centavos de real se converter para o salário do americano. Reparei outro detalhe: o produto brasileiro mostrado nesta foto tem sabor de carne. O americano tem carne bovina (beef). Apenas um detalhe? Sei não!

(Quem quiser se indignar um pouco mais, minha filha está postando vídeos no seu canal no YouTube (Mimos Femininos) mostrando alguns produtos que comprou em New York.)

Peço desculpas se contrariei alguém, mas sou da época do Brasil, Ame-o ou Deixe-o, propaganda governista nos anos 70. O brasileiro, mesmo sob um regime militar, ainda acreditava que o Brasil teria jeito, que dias melhores estariam por vir. Fui um dos que acreditaram no futuro do Brasil. Passei a vida trabalhando e esperando por melhores dias. Desperdicei os melhores anos da minha vida e muitas oportunidades de ter uma vida melhor em outro país, sendo respeitado como ser humano, mesmo vivendo em uma Pátria que não era a minha. Preferir apostar e ficar. Perdi.

O futuro? Infelizmente as perspectivas são sombrias. Nem é bom falar. Na melhor das hipóteses uma guerra civil ou intervenção militar. Na pior, nos tornaremos tão pobres quanto Venezuela ou Cuba.

O que já foi piada um dia, hoje é realidade. A melhor saída é o aeroporto. Se fosse mais jovem já estaria lá.

Desculpe se saí do tema do site, mas o preço da latinha de Pedigree foi o gatilho para minha revolta. Imagine se falo do padrão de vida do americano, oportunidades para quem quiser trabalhar, saúde, segurança, educação…

por que pagamos caro

(Fotos: Fernanda Teixeira – novembro/2017)

Qual a sua missão na Terra?


Este post pode gerar controvérsias, mas o objetivo é esse, despertar nossa consciência e nos fazer pensar. Quando nascemos recebemos uma missão? Qual a sua missão? Você sabe?

A missão dos cuidadores de animais é bem clara. Vivem para propagar o bem, cuidar dos seres que são nossos irmãos e, em muitos casos, totalmente dependentes dos nossos cuidados, da nossa atenção. Não há quem não conheça um cuidador que abre mão da sua vida pessoal, do seu tempo, dos bens materiais que poderia adquirir com seu salário, sua aposentadoria, para alimentar e tratar dos nossos irmãos de outras espécies.

a missão de cada um

Além de fazer o bem, quem se dedica aos animais ajuda a elevar a frequência vibratória do planeta, um ser vivo em transformação. Com o seu exemplo, atrai pessoas que poderiam seguir por outro caminho, nem sempre de acordo com as leis do universo. Contribuem para melhorar a sua rua, o seu bairro, a sua cidade, o seu país, o planeta Terra. Reparem que não falei em Deus, não quero ir contra as crenças de cada um, mas basta olhar para cima ou para os lados para ver que o NADA não poderia criar o que existe. Houve, e há, um Criador, tenha o nome e a forma que queiramos dar a Ele.

E qual a sua missão? Você sabe?

Nesse momento pensamos nos políticos que enriquecem às custas da miséria do povo que os elegeu, dos assassinos que matam sem qualquer piedade, daqueles que são tão egoístas que só pensam no seu conforto. Não deixa de ser uma missão. Uma má escolha que cobrará seu preço. Temos o livre arbítrio e, mesmo antes de nascer, podemos escolher nosso caminho, a nossa missão, o que desejamos nessa vida. Deus é tão bom que permite que façamos nossas escolhas. Temos total liberdade para decidir o que queremos fazer. Mas vamos colher mais tarde aquilo que plantarmos. A colheita é inevitável. É a Lei da Compensação, causa e efeito.

A Terra está passando por uma profunda transformação. Todos percebem que algo está mudando rapidamente no planeta, nas nossas vidas. Muitos sentem fisicamente os sintomas dessa transformação. Zumbido no ouvido é o sintoma mais perceptível. Está havendo uma separação do joio do trigo. Ainda há tempo para decidirmos de que lado vamos ficar. O planeta está evoluindo, elevando sua frequência vibratória, e não há mais lugar para aqueles que atrapalham essa grande mudança. Estamos concluindo uma etapa de estudos e chegou a época do exame final. Você está preparado? Como está sua frequência vibratória? Bons pensamentos, boas ações, caridade, amor, elevam a frequência.

A minha missão

Se este site faz parte da minha missão, fico feliz por difundir um pouco do que faço e do que aprendi em 72 anos de vida. Posso garantir que valeu a pena, embora ainda não queira dar a missão por cumprida. Ainda há muito a fazer.

Deixe seu comentário. O que você acha disso tudo? Você conhece e exerce a missão que escolheu?

Duas sugestões de vídeos. Vale a pena assistir:

Você é um adulto índigo? – Márcia Fernandes

A Profecia Celestina:

Cuidados com Animais Idosos – Dra. Letícia Piccoli


Animais idosos precisam de cuidados especiais. A atenção que você deve ter com seu cão ou gato idoso, deve ser diferente da atenção que você teve com ele quando filhote e na idade adulta.

Um controle adequado na alimentação, e isso inclui determinadas suplementações vitamínicas, é um dos fatores mais importantes para aumentar a expectativa e a qualidade de vida do seu animal.

O objetivo da orientação médica veterinária, é proporcionar ao seu peludo a manutenção das articulações, tonicidade cardíaca, função renal adequada, aproveitamento de vitaminas e minerais, manutenção de peso ideal, etc, retardando alguns efeitos naturais da idade, mantendo seu filho de quatro patas, mais tempo saudável ao seu lado.

A longevidade depende de uma série de fatores; ambientais, nutricionais, genéticos, cuidados durante a vida, etc.

animais idosos

Cães e gatos de vida livre, que costumam ficar muito pelas ruas, vivem menos que os confinados devido a acidentes de trânsito, vizinhos hostis e contato com animais doentes.

Ser muito gordo ou muito magro diminui substancialmente as expectativas de vida de cães e gatos. Animais idosos, com problemas específicos em órgãos vitais como o coração, rins ou fígado, podem ter seu estado geral revigorado com o auxílio de dietas e vitaminas especiais.

De um modo geral, fêmeas vivem mais que machos. Os animais castrados superam os dois. Cães de pequeno porte, com ou sem confinamento, têm vida mais longa.

Uma vida regrada é muitas vezes prolongada. É fundamental cumprir regularmente as datas das vacinações, os cuidados sanitários, o controle de parasitas internos e externos, alimentação adequada e em horas regulares, manutenção da saúde dentária, etc.

Animais idosos precisam de exercícios regulares

Exercícios físicos periódicos não são uma exclusividade dos seres humanos, pois os animais de qualquer idade devem fazê-los, mantendo a boa circulação, firmeza muscular, facilidade de locomoção, assim como as funções fisiológicas. Os animais de mais idade também devem ter atividades para se manterem dispostos. Por outro lado, tanto cães como gatos idosos, devem ser desestimulados a pularem demais ou participarem de atividades “radicais”.

Os hábitos alimentares devem ser disciplinados, e caso eles fiquem inapetentes, deve-se procurar auxílio especializado.

Carinho e atendimento que fazem a diferença!

Clínica Veterinária Letícia Piccoli
Rua Oscar Clark, 86 – Centro – Araruama – RJ
(22)2664-7506
Dra Leticia Piccoli – CRMV/RJ 10.105

Deixai vir a mim as criancinhas


Jesus disse: “Deixai vir a mim as criancinhas porque delas é o Reino dos Céus.” Mateus 19:14.

Na semana passada uma criança de 9 anos tentou jogar seu cachorrinho pela varanda do apartamento onde mora. Felizmente não teve forças para erguê-lo o suficiente. O motivo alegado teria sido uma mordida. Era uma menina, que geralmente são mais amorosas do que os meninos, por desenvolverem o instinto maternal. Não conseguindo jogá-lo para a morte, passou a agredir o pobre bichinho. Isso durou quase 15 minutos, sem qualquer reação agressiva do animal. A cena foi filmada por um vizinho.

Não ia comentar a notícia, mas um assunto puxa outro. Passei a imaginar se esta criança poderia ser comparada a uma das crianças a quem Mateus se referiu na Bíblia:

“Então, trouxeram-lhe algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos e orasse por elas. Os discípulos, contudo, os repreendiam. Mas Jesus lhes ordenou: “Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas”.

Deixai vir a mim as criancinhas porque delas será o Reino dos Céus

Jesus não se referia às crianças pela idade do corpo físico, mas pelas atitudes que cada um tem, independente da idade que consta na certidão de nascimento. Todos somos velhos, mesmo as crianças, pois a idade da alma é o que importa.

As crianças mencionadas por Jesus somos nós, de todas as idades, de qualquer raça ou espécie, que têm amor e compaixão pelo próximo. São os animais com sua inocência e atitudes, às vezes agressivas, motivadas pelo instinto de sobrevivência e sua posição na escala evolutiva.

Os animais domésticos, assim como todos os seres com quem convivemos, aprendem conosco através do exemplo que passamos. Também aprendemos com eles. Nossos bons exemplos ajudarão no seu desenvolvimento, na sua evolução. Seremos melhores seres, teremos um planeta melhor.

Devemos pensar bem antes de adotar ou presentear alguém com um bichinho. Animais são seres vivos, com emoções e sentimentos, nossos filhos a partir do instante que aceitamos cuidar deles. O tempo não lhes dará independência, mas fará com que sejam cada vez mais dependentes de nós.

Deixai vir a mim as criancinhas

Nick, o mais velho de meus filhos de quatro patas, já está na idade em que prefere ficar na caminha. Seus olhos precisam ser limpos várias vezes por dia. Quase não enxerga. Precisa de atenção especial e colírios que pouco resolvem mas que salvam o pouco que resta da sua visão. Seus medicamentos custam caro. O veterinário precisa estar mais presente. A alimentação é especial. Hoje cedo, após medicá-lo, fiz com que que aproveitasse o sol da manhã. Não foi nada além da minha obrigação. Assumi este dever no momento em que lhe dei abrigo em um dia frio e chuvoso, tirando-o das ruas, oferecendo alimento e proteção. Assumi um compromisso com ele, comigo e com o Deus da minha compreensão.

Deixo o tema para reflexão. Fazemos várias escolhas na vida, umas certas, outras erradas, mas fazer o bem é, sem dúvida, a melhor escolha que podemos fazer para nós mesmos.

Tem comida?

 

 

É de rua, mas sempre vem comer whiskas. peito de frango e ração. Muito dócil e os cachorros gostam dela (acho que é fêmea).

 

Remédios do Nick

Animais carnívoros, herbívoros e onívoros


Os animais podem ser classificados em carnívoros, herbívoros e onívoros, que se alimentam tanto de carne quanto de vegetais. Fazendo analogia com os motores dos automóveis, os animais onívoros seriam como os carros Flex, que utilizam mais de um tipo de combustível.

Desde cedo aprendemos que a combinação de combustível, oxigênio e calor pode proporcionar vida ou destruição, dependendo de como cada um desses elementos for utilizado. Seu uso controlado pode acionar motores, permitindo o funcionamento de automóveis, por exemplo, ou, quando fora de controle, causar grandes incêndios e destruição.

O alimento é o combustível do nosso corpo. Todos os seres vivos precisam do alimento para sobreviver. As plantas, de um modo geral, retiram o alimento do solo, através das raízes. Os animais, dentre eles nós, seres humanos, nos alimentamos de vegetais ou de outros animais.

Aprendemos que a respiração tem importância vital neste processo. O oxigênio vai interagir com o alimento (combustível) e produzir a energia necessária para a vida. Daí a importância de cuidar do ar que respiramos, não fumar, manter os pulmões em prefeito funcionamento, fazendo exercícios, principalmente caminhadas ao ar livre.

Você saberia dizer quais animais são carnívoros, herbívoros e onívoros? Pouca gente acertaria todas as questões de um teste a respeito. Vejamos alguns exemplos:

Animais carnívoros, herbívoros e onívoros

O site Toda Matéria dá alguns exemplos de animais carnívoros, herbívoros e onívoros, além de mostrar as características desses animais. Excelente fonte de estudo. Recomendamos aos nossos leitores.

Animais carnívoros, herbívoros e onívoros

Cachorro, gato, lobo, raposa, foca, morsa, leão, hiena, falcão, gavião, coruja, tubarão, baleia, golfinhos, tigre, guepardo, leopardo, onça, lince, crocodilo, jacaré, urso, jaguatirica, ariranha, lontra, quati, cangambá, marsupiais, polvo, lula, estrela do mar, água viva, gaivota, pinguim, pelicano, cegonha, garça, jiboia, sucuri, tartaruga-marinha, sapo, rã, aranha e escorpião” são classificados como animais carnívoros.

Abelha, anta, borboleta, boi, vaca, antílope, ovelha, rinoceronte, hipopótamo, girafa, canguru, zebra, veado, elefante, gorila, cavalo, cabra, búfalo, urso panda, camelo, coelho, porco-da-índia, alguns morcegos, dentre outros,” são animais herbívoros.

Urso, morcego, lobo-guará, suricata, jabuti, girino, porco, porco-espinho, sagui, quati, raposa, gambá, chimpanzé, corvo, gaivota, ema, avestruz, pega, gralha, guaxinim, texugo, rato, esquilo.” são animais onívoros. Galinhas e patos também são aves onívoras.

O ser humano é considerado onívoro, pois temos uma dieta bem variada, inclusive fazendo uso de produtos industrializados que causam mais danos do que benefícios ao nosso corpo. Pelas características do nosso organismo, nosso sistema digestivo é mais similar ao dos animais herbívoros. O estômago apresenta PH baixo e o intestino é longo. Além disso nossa dentição apresenta dentes molares, o que não acontece com animais carnívoros. Quem sabe um dia consigamos abolir os animais da nossa alimentação. E que isso ajude a reduzir nossa agressividade e vejamos os animais como nossos irmãos, não como seres que estão ao nosso dispor para nos servir.

 

 

Ração Contaminada por Fungos Pode Matar


Falta de apetite, diarreia, vômitos, barriga dilatada, são alguns sintomas que indicam intoxicação grave causada por ração contaminada por fungos. Se nada for feito o animal poderá morrer em pouco tempo.

Uma notícia publicada há cinco anos pelo O GLOBO me chamou a atenção para os riscos que corremos. Este caso é antigo, mas o perigo é constante e permanece até os dias atuais. Mesmo adquirindo uma ração de boa marca, em bons fornecedores, dentro da data de validade, não estamos livres de levar para casa uma ração contaminada.

Neste caso específico, o milho foi o responsável pela ração contaminada, produzindo uma substância cancerígena chamada aflatoxina, que ataca o fígado e provoca hepatite, levando o animal ao óbito rapidamente. Na matéria publicada em 2012 há registros de casos no Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo.

O nosso clima quente e úmido, locais de armazenamento inadequados, danos nas embalagens das rações, sacos em contato direto com o solo, são fatores que facilitam a contaminação. Há quem compre ração à granel, o que aumenta ainda mais os riscos decorrentes da proliferação de fungos, sem contar que fica impossível saber a data de validade do produto. Geralmente as rações vendidas a granel ficam expostas ao tempo, vulneráveis a insetos e roedores.

Como se prevenir da ração contaminada

armazenando bem para evitar a ração contaminada por fungos

Prefira comprar embalagens pequenas de ração, de um ou dois quilos, até três quilos no máximo. Verifique a data de validade. Muitas lojas adquirem ração perto de vencer e, com isso, conseguem melhores preços dos fornecedores, aumentando sua margem de lucro. Observe, também, a data de fabricação. Ninguém sabe por quanto tempo, e em que condições, a ração foi armazenada desde que foi fabricada. Quanto menor for o tempo entre a fabricação e o consumo, melhor a qualidade do produto.

Tenha a certeza de que todo o conteúdo será consumido dentro de um mês. Embalagens econômicas de quinze quilos só deverão ser adquiridas caso você tenha muitos animais para consumir tudo em 30 dias.

Aberta a embalagem, coloque a ração em vasilhas plásticas, limpas, secas e bem fechadas, como estas da foto, protegidas da luz e calor.

Se notar algo diferente na textura da ração, como pó, farelos, grãos aglutinados, umidade, manchas brancas, casulos, ou até pequenos insetos, devolva ao fornecedor e não faça uso dela. Se não puder devolver, jogue no lixo com cuidado para que outros animais não a utilizem.

Operação Carne Fraca e a Maldade Contra Animais


Ficamos indignados com as notícias divulgadas esta semana sobre a Operação Carne Fraca. Não sabíamos se nos indignávamos mais ao descobrir que carne estragada era exportada e também vendida no mercado interno ou com o prejuízo que isso tudo causou ao Brasil. A corrupção se espalhou pelo mercado de carnes e o Brasil, fazendo um enorme esforço para se recuperar da maior crise financeira da sua história, amarga prejuízos bilionários.

Constatamos que fiscais honestos foram perseguidos, pois o esquema milionário, envolvendo também partidos políticos (os de sempre), não poderia ser prejudicado.

A Operação Carne Fraca mostra que a contaminação é bem maior do querem fazer parecer. Envolve desde frigoríficos bem pequenos até os gigantes globais BRF (Sadia, Perdigão e diversas subsidiárias) e JBS/Friboi, maior holding mundial da indústria da carne.

operação carne fraca - boi chorando na hora do abate

O relatório completo é mais assustador do que filme de terror. Mostra os detalhes de operações para recuperar carne estragada, usando aditivos como ácido ascórbico, neste caso usado para mascarar os efeitos da deterioração. Fala do reaproveitamento de carnes impróprias devolvidas por importadores, e que foram recolocadas no mercado interno. Gravações mostram como a carne vencida era reaproveitada na fabricação de embutidos. Como se não bastasse, ficamos sabendo que animais mortos durante o transporte, com a carne já em processo de decomposição, eram utilizados normalmente na produção de carne e subprodutos. Quantos dias se passaram desde a morte do animal até o processo final?

Crueldades no abate de frangos também vieram à tona, mostrando que grande parte dos frangos foi fervida ainda com vida. Quanta crueldade!

Os embutidos são um caso especial. As pessoas adoram um cachorro quente, um sanduíche de mortadela, e nunca se questionaram sobre como aquela carne era processada. Os vídeos disponíveis são de dar nojo. Todo tipo de sobras de carne entra no triturador. Em seguida aquela massa nojenta é maquiada com corantes, aromatizantes, conservantes e toda espécie de produtos altamente cancerígenos.

Trecho do Relatório da Operação Carne Fraca:

“A investigação policial que deu origem à presente ‘Operação Carne Fraca‘ teve início a partir de possíveis irregularidades noticiadas pelo fiscal agropecuário federal Daniel Gouvêa Teixeira existentes no âmbito da Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Paraná (SFA/PR) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA (evento1/fls. 2-16 do inquérito policial nº 0136/2015 SR/DPF/PR – 5002816-42.2015.4.04.7000).” Quem se interessar em ler o relatório completo, este é o link.

Os animais estão tendo a oportunidade de serem vistos e ouvidos. Seu grito de socorro explode em nossos ouvidos e em nossas consciências. As crueldades a que estão sendo submetidos passam a ser do conhecimento público. As barbaridades praticadas pela indústria de carnes não é mais segredo para ninguém. A corrupção dominou o setor e causou um enorme prejuízo ao Brasil, muito maior do que o simples desvio de muitos milhões de reais. São bilhões de dólares.

E há quem culpe a Polícia Federal! Haja paciência!

Cuidados com os Mascotes no Verão – Dra. Letícia Piccoli


O verão está chegando, que maravilha! E com ele o sol forte, o calor e a umidade. Não podemos nos descuidar com nossos mascotes nesse período. É preciso ter cuidados com os mascotes no verão.

O calor em excesso pode acarretar alguns problemas, que podem ser facilmente contornados com um pouco de atenção.

Chão quente

Devemos lembrar que o chão fica muito quente, podendo queimar as patinhas dos nossos peludos. O ideal é que as caminhadas e passeios sejam antes das 9 horas da manhã ou depois da 18 horas. Podemos sentir a temperatura do chão com nossas mãos, para verificar se é suportável ou não para as patinhas deles.

Água do bebedouro

Outra coisa importante é trocar a água do bebedouro no mínimo duas vezes ao dia, pois ela também tende a ficar muito quente, reduzindo a ingestão de água, fundamental para manter nossos amigos hidratados.

Sombra

É fundamental ter um local sombreado onde nossos mascotes ficam, independente da casinha, para que eles possam se proteger do sol, e nunca deixa-los em locais fechados e sem ventilação.

Alimentação

cuidados com os mascotes no verão

As temperaturas altas também fazem com que os peludinhos comam menos (é normal), pois necessitam de menos aporte energético.

É sempre recomendável que os potes de comida não sejam deixados à vontade, para não atrair visitantes indesejáveis, como ratos, pombos ou insetos. Devemos ter um cuidado ainda maior com os alimentos pastosos, pois podem estragar com mais facilidade.

Passeios

Se forem passear de carro, nunca deixem os pets dentro do veículo, mesmo que fique com frestas nas janelas.

Pulgas e carrapatos

No verão, também percebemos um aumento na proliferação de pulgas e carrapatos, portanto é essencial proteger seu peludo. Existem excelentes produtos disponíveis no mercado.

Vacinas

Algumas viroses também são mais comuns nessa época do ano. Não esqueçam de manter as vacinas dos seus filhos de quatro patinhas atualizadas. A orientação veterinária é sempre a mais adequada.

Carinho e atendimento que fazem a diferença!

Clínica Veterinária Letícia Piccoli
Rua Oscar Clark, 86 – Centro – Araruama – RJ
(22)2664-7506
Dra Leticia Piccoli – CRMV/RJ 10.105

Cinomose Pode Matar seu Peludinho – Dra. Letícia Piccoli


Você já ouvir falar em CINOMOSE? Este assunto é muito sério, pois a Cinomose pode matar seu peludinho. Cinomose é uma doença viral extremamente grave que acomete cães não vacinados ou que não tomaram a vacina adequadamente.

Nos meses mais frios o vírus da Cinomose consegue resistir mais tempo no ambiente, fazendo com que aumente a incidência dessa doença, que pode ter índices de mortalidade de até 80%.

A principal forma de contágio é o contato com secreções orais e nasais de animais infectados.

A Cinomose não é uma zoonose, ou seja, o ser humano não corre risco de ser infectado, porém podemos ser os responsáveis por levar o vírus através dos nossos calçados, por exemplo, e infectar nossos próprios cães, mesmo aqueles que nunca saem de casa.

Sintomas da Cinomose

Essa doença pode apresentar diferentes fases ou sintomas, portanto fique atento para os mais importantes:

• Secreção nos olhos e conjuntivite severa;
• Secreção nasal, tosse e pneumonia;
• Pústulas no abdômen, hiperqueratose dos coxins plantares;
• Vômitos e diarréias;
• Tremores musculares, incoordenação motora e convulsões.

cinomose pode matar

Cinomose pode matar

O diagnóstico dessa doença severa deverá ser feito por um Médico Veterinário e quanto antes for iniciado o tratamento, maiores são as chances de cura.

Prevenção da Cinomose

Para prevenir a Cinomose, o mais importante é seguir um protocolo de vacinação correto, com vacinas de qualidade; evitar que filhotes circulem em ambientes públicos antes de tomar todas as vacinas; animais doentes deverão permanecer isolados, para minimizar as chances de contágio; e ambientes contaminados deverão permanecer sem cães por pelo menos 6 meses.

Aproveitem essa dica para dar uma conferida na carteirinha de vacinação do seu melhor amigo. O reforço vacinal contra a Cinomose e contra outras doenças importantes, deve ser feito anualmente!

Carinho e atendimento que fazem a diferença!

Clínica Veterinária Letícia Piccoli
Rua Oscar Clark, 86 – Centro – Araruama – RJ
(22)2664-7506
Dra Leticia Veterinária Letícia Piccoli – CRMV/RJ 10.105

Doenças Alérgicas – Dra. Letícia Piccoli


Você sabe se o seu peludinho tem alguma alergia? Provavelmente você conhece alguém que tem um cãozinho que é alérgico a alguma coisa. As alergias estão entre as doenças mais comuns no mundo tanto em nós, quanto em nossos animais de estimação. Podem ser causadas por uma infinidade de fatores ambientais e substâncias presentes nos alimentos, bem como por parasitas (pulgas, carrapatos…).

As doenças alérgicas fazem parte de um leque de doenças de pele que desenvolvem hipersensibilidades nos cachorros. Enquanto um animal normal, sem ser alérgico, pode ser picado por uma pulga e o máximo que o organismo dele vai fazer é ficar um pouquinho vermelho (igual quando somos picados por mosquitos), o organismo de um cão alérgico à picada de pulga, vai ter uma reação muito mais intensa, ficando bastante inflamado e com uma coceira exagerada.

Sintomas de doenças alérgicas

doenças alérgicas

Os animais alérgicos costumam apresentar bastante coceira e vermelhidão em vários locais do corpo e lambedura de patas. Para piorar a situação desses cães, normalmente a pele também está com infecções secundárias, e com isso, apresentam feridas, quedas de pelos e odor desagradável. Um animal em crise pode apresentar infecções bacterianas e fúngicas na pele, além de uma intensa coceira e inflamação. Neste caso podem ser muito irritantes, piorando os sinais clínicos da alergia.

O segredo para o controle da dermatite alérgica é a identificação e controle das causas, o que normalmente se faz pela correta exclusão das doenças alérgicas mais comuns, além da realização de exames diagnósticos mais específicos, como a histopatologia da pele e testes alérgicos dérmicos ou triagens alimentares. Para isso, é fundamental que você leve seu peludinho para uma consulta médica veterinária, onde ele será avaliado clinicamente e fará exames complementares para tentar descobrir a causa alérgica do seu cachorro, lembrando que pode ser um processo complexo que requer tempo e paciência.

Tratamento das doenças alérgicas

O tratamento é feito normalmente com o uso de medicamentos orais e tópicos (antibióticos, antifúngicos, anti-histamínicos, shampoos, loções), que podem ajudar a reduzir, controlar e prevenir as crises alérgicas. Um adequado plano diagnóstico e terapêutico, é fundamental aos pacientes alérgicos.

Nem todas as coceiras, queda de pelos e pele avermelhada são um processo alérgico. Existem várias outras doenças de pele que apresentam o mesmo quadro clínico. Por isso é imprescindível que, se o seu filho de quatro patinhas está apresentando alguns desses sintomas, você o leve a uma consulta médica veterinária para o correto diagnóstico!

(Texto adaptado baseado em publicação do Dr. Raphael Rocha – Dermatologista e Alergologista Veterinário)

Carinho e atendimento que fazem a diferença!

Clínica Veterinária Letícia Piccoli
Rua Oscar Clark, 86 – Centro – Araruama – RJ
(22)2664-7506
Dra Leticia Piccoli – CRMV/RJ 10.105