Animal Idoso: Você está preparado?


Cuidar de um animal idoso não é tarefa fácil. Requer tempo, dinheiro e, principalmente, amor, muito amor. A quantidade de cães idosos abandonados nas ruas e na porta da Suipa demonstram que as três condições, principalmente amor, nem sempre estão presentes. Por outro lado, vemos que há pessoas que vivem nas ruas, em condição de total miséria, e que compartilham o pouco que têm com seus animais de estimação. Nas noites frias de inverno dormem juntinhos, para se aquecer. Podemos concluir que, havendo amor, tudo se resolve.

Conheço pessoas que compram animais de estimação, principalmente cães e gatos caríssimos, como se fossem brinquedos. Vira-latas, nem pensar. Na primeira viagem de férias, dificuldade financeira ou mudança de interesse, descartam o animalzinho. Usam e jogam fora. Na idade avançada pensam em sacrificar o animal idoso, como se estivessem praticando uma caridade, “evitando sofrimentos”. Para estes, a eutanásia significa eliminar um problema rapidamente, gastando pouco. Esquecem que velhice não é doença e todos passarão por esta fase, se não morrerem antes.

Responsabilidades ao cuidar de um animal idoso

medicando um animal idoso

Não vamos prolongar o assunto. Cada um de nós é senhor da sua vontade e de suas decisões. Penso que antes de adotar um lindo cachorrinho ou gatinho, devemos estar conscientes que, se temos hoje 70 anos, estaremos com mais de 80 na velhice do animal. Também estaremos velhos e precisando de cuidados. Teremos condições de cuidar do bichinho e de nós mesmos? (Já falamos sobre isso em outro artigo). Poderemos dedicar parte de nossa renda para comprar medicamentos especiais, todos eles caríssimos? Ou seremos egoístas, insensíveis, verdadeiros assassinos, ao determinar o fim do ciclo de vida daquele que nos acompanhou durante sua vida?

Estou cuidando do Nick, um animal idoso que vive conosco há quase 14 anos. Foi retirado das ruas quando novinho, assim como aconteceu com os animais com quem convivi e outros com quem ainda convivo. Nick não tem se alimentado, perdeu o apetite que sempre foi sua característica, obrigando-me a servir o alimento especial (importado) na seringa, assim como a água de coco servida regularmente. Os remédios para idosos fazem parte da rotina diária. A vista merece cuidados especiais. Está praticamente cego. As pernas fraquejam.

alimentando um animal idoso

Mas, estamos juntos!

 
50 views

Deixe uma resposta

Name and email are required. Your email address will not be published.