Adotar com Responsabilidade


Adotar com responsabilidade deve ser uma decisão bem pensada e avaliada. Não leve um animal para casa se não tiver certeza de que vai ficar com ele até o fim da vida. Da mesma maneira, não dê um bichinho de presente sem que haja a certeza de que o presenteado vai ter os requisitos necessários para ficar com ele.

Quais são os requisitos para adotar com responsabilidade?

  • Capacidade financeira – Cuidar de um animal de estimação, seja cão, gato, calopsita, porquinho da índia, coelho, e tantas outras espécies, custa caro. A comida é especial, apropriada para cada espécie, e não é barata. Há vacinas, vermífugos, consultas veterinárias, e tantas outras despesas, algumas inesperadas, que podem quebrar um orçamento apertado.
  • Tempo disponível – Se você trabalha fora e não tem com quem deixar seu bichinho, se costuma viajar a serviço, deve considerar tudo isso na hora da decisão.
  • Espaço – Cada animal tem características próprias e precisa de espaço compatível com seu porte e personalidade. Manter um Rottweiller em um apartamento de dois quartos não é aconselhável. Conheci uma família que fazia isso. Quando desciam pelo elevador, ninguém mais podia fazê-lo. Resultado: cão estressado e vizinhos amedrontados.
  • Família – Sua família gosta de animais e está disposta a abrir mão de muita coisa para ter esse novo morador em casa? No princípio tudo é novidade. Depois, vem a realidade.
  • Paciência  Você é paciente? Animais têm inteligencia limitada. De acordo com a espécie, vão exigir uma dose adicional de paciência, que talvez você não tenha.
  • Alergias – Animais, de um modo geral, soltam pelos. Você é alérgico? Há crianças em casa?

Para adotar com responsabilidade:

Lucia, Gucci e Bob - adotar com responsabilidade

Lembre-se de que animais se apegam à pessoa ou família, acostumando-se com o que passam a considerar seu território. Sofrem muito quando são separados daquilo que eles aprendem a considerar a sua matilha ou seu bando, ou seja, a sua família.

Animais não devem ser adotados e abandonados na primeira dificuldade. Animais exigem cuidados, tempo, paciência, atenção e carinho. Quando idosos tornam-se completamente dependentes do tutor. Muitos ficam cegos e com problemas de locomoção. Nesta hora precisam de atenção integral até que seu ciclo de vida termine, sem que seja praticada eutanásia. Algumas pessoas fazem isso para livrar-se do “problema”.

Quando amados, animais mostram-se como nossos melhores amigos, sempre retribuindo aquilo que recebem.

Inspirado em uma publicação de minha amiga Nilce Oliveira, no Facebook.

 
86 views

Deixe uma resposta

Name and email are required. Your email address will not be published.